O procurador-geral da República e coordenador da força-tarefa das Operações da Lava Jato, Deltan Dallgnol, recebeu várias críticas após ser divulgado na internet o valor que ele cobra para dar palestras. Um anúncio feito na internet acabou declarando quais valores o procurador costuma cobrar.

A agência "Motiveação Palestras" divulgou que Dallagnol é o autor das denúncias contra o ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva e também citou sua atuação no projeto das "10 medidas contra a #Corrupção", em seguida foi enfatizado que Dallagnol cobra cerca de R$ 30 mil a R$ 40 mil pelas suas palestras.

A equipe da "Motiveação Palestras" acabou tendo que se redimir, afirmando que o anúncio foi feito indevidamente, pois não teriam a autorização do palestrante para divulgar tais valores.

Publicidade
Publicidade

A agência se retratou publicamente afirmando que compactua com o trabalho de Deltan Dallagnol e cita a situação constrangedora em que deixou Dallagnol.

Neste último sábado (17), Dallagnol respondeu as críticas sobre o valor cobrado por palestras e citou que quase todo o dinheiro que ganha é transferido para doações. O procurador contou que até o ano passado, o valor recebido era doado integralmente, porém, a partir de 2017, ele usa 10% para despesas pessoais e impostos, o restante do dinheiro agora está indo para um fundo que é destinado a servidores públicos. O objetivo desse fundo é cobrir despesas que ocorrem durante as investigações da Lava Jato ou outras operações que tratam sobre corrupção por parte dos servidores públicos, além disso, há também um incentivo para o combate à corrupção, promovendo a cidadania e a ética.

Publicidade

Nas palestras de Dallagnol, o tema se baseia em ética e corrupção.

Dallagnol fala sobre o governo

Nesta última sexta-feira (16), o procurador fez uma postagem na rede social "Twitter", comentando sobre o que ele atribuiu de "falsa estabilidade" do governo do presidente #Michel Temer. Segundo Dallagnol, o próximo escândalo de corrupção que acontecer poderá fazer com que a situação "estável" se desequilibre.

Deltan Dallgnol acredita que o governo esteja "vendendo" uma ideia de que se mantém estável, mas não seria isso que está acontecendo. O procurador não deu informações reveladoras sobre ter conhecimento de que um próximo escândalo corrupto estaria pronto para "explodir". O governo de Temer utiliza a economia como um meio para falar sobre "estabilidade". #DeltanDallagnol