A Procuradoria-Geral da República (PGR) deve apresentar na próxima terça-feira (27) uma denúncia contra Michel Temer por corrupção. Para que as investigações continuem, o plenário da Câmara dos Deputados terá que autorizar, como determina a Constituição.

Antes de chegar ao plenário da Casa Legislativa, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara irá analisar a peça oferecida pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Dos 66 parlamentares que compõem a CCJ, 14 já foram citados por delatores da Lava Jato. São esses os deputados que irão definir se as investigações contra Temer deverão continuar ou não.

Celeridade

A Comissão de Constituição e Justiça tem o prazo de até 15 sessões para votar o parecer do relator a favor ou não da continuidade da denúncia.

Publicidade
Publicidade

Após essa votação, o relatório será encaminhado ao plenário da Casa. O Planalto quer que o relator do processo seja ou o deputado Alceu Moreira (PMDB-RS) ou Jones Martins (PMDB-RS).

O Planalto quer a maior celeridade possível no trâmite da denúncia. Exigem que a base aliada rejeite a matéria da PGR ainda na primeira quinzena de julho. Para tal, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), estuda cancelar o recesso parlamentar para poder salvar a pele do aliado, Michel Temer. #Dentro da política