O inesperado revés na reforma trabalhista preocupou o núcleo duro do governo #Temer. Nesta terça-feira, por 10 votos a 9, o parecer desta reforma foi rejeitado em uma comissão especial no Senado Federal. Interlocutores do governo entendem que o #PSDB poderia ter colaborado de forma mais efetiva para a eventual aprovação.

Desde o estouro da "bomba" com os vazamentos dos áudios do empresário Joesley Batista em conversa com Temer, o PSDB tem titubeado em sair do governo ou se manter dando apoio às reformas. Oficialmente, a segunda opção foi a adotada pelos tucanos, mas já uma pressão para que o PSDB entregue os cargos que dispõe justamente para abrir espaço para montagem de nova base congressual.

Publicidade
Publicidade

Moreira Franco, ministro da Secretaria-Geral da Presidência, é um dos que entende que o PSDB teve papel fundamental na derrota de terça-feira do governo no Senado. Em sua avaliação, o partido dos tucanos não entregou o número de votos que prometeu.

Por outro lado, o presidente interino do PSDB, Tasso Jereissati, senador pelo Ceará, rebateu as declarações de Franco e disse que o governo calculou mal a votação, já que mandou boa parte de seu primeiro escalão na comitiva que foi à Rússia ao lado de Temer. "O governo levou todo mundo para Moscou e deixou de lado a votação", disse.