O dono da JBS, Joesley Batista, fez uma delação premiada esclarecedora e explosiva para a Procuradoria-Geral da República, e nela foram apresentadas diversas provas contra o atual presidente Michel Temer. O que mais eclodiu foi a gravação feita durante uma conversa entre ambos, e houve uma forte acusação contra o ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva, que já é réu em cinco casos, e contra a ex-presidente #Dilma Rousseff.

Além do principal acusado pela delação do empresário, os ex-presidentes Lula e Dilma podem se complicar após essas declarações, pois ambos estão sendo investigados agora.

Motivo da investigação

O empresário afirmou diversos esquemas de corrupção com políticos e ainda citou que os ex-presidentes Lula e Dilma tinham contas na Suíça, nas quais recebiam dinheiro de propinas enviadas pelo empresário.

Publicidade
Publicidade

As contas, que chegavam ao valor de 150 milhões de dólares em 2014, foram fechadas por Julius Baer, e o dinheiro foi transferido para um banco dos Estados Unidos, antes de acontecer a delação de Joesley.

O jornal Estado de São Paulo afirmou que o banco suíço suspeitou das transações pelo alto valor que envolvia e acabou denunciando para os órgãos de combate contra lavagem de dinheiro europeu.

Segundo o jornal, Julius Baer não tem conhecimento sobre quem eram os beneficiários das movimentações financeiras, porque as transações de dinheiro eram feitas somente por doleiros e operadores, e as contas estavam no nome das empresas Valdacro e Lunsville International Inc.

Possível condenação?

Pode haver uma condenação, pois agora o caso está sendo investigado e, se provado que Dilma e Lula eram os beneficiários dessa conta na Suíça, ambos serão acusados por corrupção passiva (já que não eram os responsáveis pela transação e só recebiam o dinheiro), e lavagem de dinheiro.

Publicidade

Lula já é réu em cinco processos. A investigação mais avançada contra o ex-presidente é o caso do 'triplex', para o qual já foi pedida a #Prisão em regime fechado de Lula pelo Ministério Público Federal. No entanto, até agora, Sérgio Moro não executou o mandado de prisão, pois quer investigar até o final.

Se caso Lula for preso por esse caso e logo em seguida for acusado de ser o beneficiário das contas no paraíso fiscal, a pena deverá ser cumprida em regime fechado.

Lula se defende das acusações, afirmando que não existem provas para prendê-lo e que no Brasil há uma grande desorganização e perseguição contra ele.