A força-tarefa da #Lava Jato publicou, nesta terça-feira (20), uma nota de repúdio a um artigo assinado pelos advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O artigo foi publicado pelo jornal "Folha de São Paulo" na parte que é destinada aos leitores que querem expôr suas opiniões.

Os procuradores condenam a forma dos advogados de "pessoalizar" as acusações contra #Lula na pessoa do procurador da República, Deltan Dallagnol. A defesa do petista parece não compreender que, além de Dallagnol, existem outros 12 procuradores da República que acusam Lula de crimes graves de corrupção e lavagem de dinheiro.

De acordo com a força-tarefa, os advogados esquecem que para se chegar às denúncias, foram necessárias extensas investigações realizadas pela Polícia Federal (PF) e Receita Federal.

Publicidade
Publicidade

Também fazem parte dos processos servidores do Ministério Público Federal (MPF) dedicados e com grande responsabilidade. Além disso, não há nada de vínculo político-partidário nas decisões tomadas.

Nesta terça (20), a defesa de Lula apresentou as alegações finais dos processos. Lula resolveu "atacar" os procuradores pedindo a exoneração deles e afirmando que todas as acusações contra ele são uma verdadeira "piada".

Os investigadores confiam na Justiça e aguardam com tranquilidade a sentença do juiz federal Sérgio Moro. A qualquer momento, Moro pode dar o veredito. A decisão está com ele.

Revolta

Os procuradores ficaram revoltados com o artigo de título "A verdade de Lula". Segundo eles, Lula utiliza recursos eticamente duvidosos para os atacar. Entre as estratégias de ataque da defesa do petista estão: ação de indenização contra Dallagnol e o delegado da PF, Felipe Pace, e queixa-crime contra Moro.

Publicidade

Os procuradores vêem essas atitude dos advogados como um absurdo. Segunda a nota publicada, os advogados de Lula esquecem até do mérito do processo para transformarem um julgamento de crimes de corrupção em julgamento político.

Impunidade

A nota da força-tarefa acredita que a impunidade será superada e haverá a possibilidade do Brasil ser um país mais justo e com as leis funcionando para todos igualmente. Praticamente, é a primeira vez na história brasileira em que governantes são obrigados a responder por seus atos irregulares e de receberem punições por suas atitudes erradas. Os políticos poderosos descobriram, através da Lava Jato, que a lei é para ser cumprir e que o povo não mais tolerá corruptos.