O prefeito de São Paulo, João Doria, responsável pela administração da maior cidade do País, foi contundente ao se expressar, nesta segunda-feira (12), em um reunião realizada por integrantes da cúpula do #PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira). Além do prefeito da capital paulista, também participaram do encontro, vários políticos da sigla que se destacam na política tucana em nível nacional.

Dentre eles, pode-se mencionar as presenças do governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, o ex-ministro das Relações Exteriores e o atual do governo Temer, José Serra e Aloysio Nunes, respectivamente, além de políticos tradicionais do partido, como o senador cearense Tasso Jereissati.

Publicidade
Publicidade

O encontro de cúpula do PSDB serviu para que o partido defina qual será seu papel a ser desempenhado a partir da decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em absolver a chapa presidencial Dilma-Temer de irregularidades na disputa eleitoral para a presidência da República em 2014, por quatro votos a três.

A cúpula tucana decidiu se manter na base de apoio do governo do presidente #Michel Temer. Entretanto, se o mandatário do País vier a ser denunciado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, há a possibilidade de que o partido inicie um movimento de debandada, embora mantenha o apoio irrestrito a implementação das reformas necessárias ao Pais, como a trabalhista e a previdenciária.

Prefeito João Doria se manifesta no encontro

O prefeito de São Paulo, João Doria, considerado um dos principal nomes do PSDB para a próxima disputa eleitoral para a presidência da República em 2018, se manifestou enfaticamente a respeito da situação do partido em relação ao governo de Michel Temer.

Publicidade

Em um discurso contundente em prol de que o partido se mantenha firme na base de apoio do governo federal, Doria defendeu que o principal motivo para isso são as reformas estruturais que deverão ser aprovadas no Congresso Nacional.

Segundo o prefeito paulistano, "há uma consciência no PSDB de que é necessário agir de modo positivo. No atual momento, de acordo com o pensamento majoritário dos integrantes da sigla, respeitando as posições consideradas contrárias, foi de se estabelecer no governo, em total apoio às reformas e aos quatro ministros do PSDB que lá estão", afirmou incisivamente o prefeito de São Paulo, João Doria.

Porém, o próprio prefeito ponderou que a decisão de se manter no governo do presidente Michel Temer pode ser reavaliada pelo partido sempre que se tornar necessária. #João Dória