O presidente #Michel Temer estava indo embarcar para Moscou quando se deparou com a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia. O encontro entre eles ocorreu na Base Aérea de Brasília. A ministra estava retornando do Rio de Janeiro. De acordo com a assessoria deles, o encontro foi "por acaso". Eles ficaram conversando durante cinco minutos e a conversa, conforme informações dos assessores, foi considerada institucional.

#Cármen Lúcia e Temer sempre tiveram uma relação cordial. Eles haviam se falado pela última vez em um telefonema que Temer fez para a ministra se explicando sobre as acusações de que ele teria acionado a Abin (Agência Brasileira de Inteligência) para "bisbilhotar" a vida do ministro e relator da Lava Jato, Edson Fachin.

Publicidade
Publicidade

O clima ficou pesado entre os Poderes e a presidente da Corte chegou a publicar uma nota de repúdio. Ela ressaltou que o responsável por isso merece uma dura punição. Dois dias depois, após falar com Temer, a ministra estava mais tranquila encerrando a polêmica e confiando nas palavras do presidente.

Críticas ao sistema carcerário

Cármen Lúcia defendeu, nesta segunda-feira (19), inovações no sistema carcerário brasileiro, como por exemplo, a criação de um cadastro nacional dos mandados de prisão que possam ser acessados por juízes de todo o Brasil. A intenção é que todos os serviços sejam mapeados para saber qual a quantidade de detentos nos presídios e dos que podem ser presos a qualquer momento.

A ministra fez duras críticas ao sistema utilizado no Brasil e comentou que as condições nos presídios é de grande degradação, ou melhor dizendo, não existem condições humanas.

Publicidade

Segundo Cármen Lúcia, algo tem que ser feito imediatamente e o Judiciário tem a responsabilidade por cada preso, por isso precisa saber em quais situações eles se encontram. O evento que ela participou foi no Rio de Janeiro, na Conferência Brasil pela Paz.

Viagem de Temer

Temer viajou para a Rússia e a Noruega. A viagem aconteceu num momento não muito propício, onde o país vive uma turbulência política no governo.

O objetivo dessa viagem é que Temer e o presidente da Rússia, Vladimir Putin, assinem acordos bilaterais visando investimentos, intercâmbio cultural e consultas políticas.

Na Noruega, o foco será a agenda ambiental. Os dois países são grandes parceiros nessa luta pelo meio ambiente. Michel Temer ressaltará o engajamento brasileiro no cumprimento do Acordo de Paris.