A grave crise que acomete o governo do presidente da República #Michel Temer ocasionou um novo capítulo na já intrincada cena política brasileira. Com a apresentação da denúncia do procurador-geral da República Rodrigo Janot contra o presidente Michel Temer, a situação ficou ainda mais complicada e a base aliada do Palácio do Planalto pode começar a "ruir" ainda mais.

Um dos principais motivos de preocupação para o governo é a necessidade do apoio da base de sustentação, para a aprovação de reformas consideradas extremamente importantes para o país, segundo o governo, como as reformas da previdência social e a trabalhista.

Publicidade
Publicidade

Diante de todos os desafios inerentes à situação política no país, um encontro "fora da agenda" está causando mais um desgaste e uma nova polêmica para o Palácio do Planalto.

Encontro fora da agenda presidencial

Um encontro fora da agenda presidencial pode se tornar a mais nova polêmica e acarretar mais fragilidade ao governo do presidente Michel Temer. Na última terça-feira (27) à noite, Temer se reuniu com o ministro #gilmar mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF). Mendes, além de integrar a mais alta Corte do país, é o atual presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Participaram ainda da reunião alguns ministros e homens de confiança do presidente da República, como o ministro Eliseu Padilha, da Casa Civil, e o ministro Moreira Franco, da Secretaria Geral da Presidência. Após o conhecimento da imprensa a respeito da ocorrência do encontro, o Palácio do Planalto teria confirmado a realização.

Publicidade

Entretanto, segundo a Presidência da República, o objetivo da reunião foi devido às discussões inerentes à realização de uma reforma política no Brasil.

Um dos aspectos mais "intrigantes" em relação à realização do encontro entre Michel Temer e Gilmar Mendes é que, embora não tenha sido divulgado anteriormente, ocorreu justamente às vésperas da escolha do nome de Raquel Dodge, que fazia parte da lista tríplice do Ministério Público Federal, para concorrer ao posto de Procuradora-geral da República, em substituição a Rodrigo Janot, cujo mandato se encerra no mês de setembro. Vale ressaltar que a procuradora Raquel Dodge ficou em segundo lugar na votação dos procuradores para o cargo de comando da Procuradoria-Geral da República.

Nos bastidores, e conforme divulgado por setores da imprensa, o principal motivo do encontro entre Temer e Mendes, seria o tema relativo à sucessão do procurador Rodrigo Janot. O Palácio do Planalto não se manifestou a respeito de não ter divulgado o encontro. Por meio uma nota do Palácio do Planalto, o governo ressaltou que "o presidente Michel Temer teria marcado o jantar com o ministro Gilmar Mendes para implementar a discussão da Reforma Política, juntamente com ministros do governo que resolveram participar posteriormente". Já o ministro Gilmar Mendes ainda não havia se pronunciado a respeito do encontro com o presidente.

#Crise no Brasil