O conturbado mundo da político nacional tem vivido momentos de tensão nos últimos 30 dias. Depois da #Delação bombástica dos irmãos Batista, que chacoalhou as entranhas do poder, o futuro político e econômico está cercado de dúvidas e incertezas.

O governo do presidente Michel #Temer tem se apoiado ao melhor desempenho da economia, mas a delação envolvendo seu nome tem esfarelado sua base aliada, que o legitimava no poder.

Boa notícia da semana: PIB volta a crescer

Dado o cenário de notícias ruins, a economia brasileira trouxe uma possível luz no fim do túnel. O PIB (Produto Interno Bruto), que é a soma de todos os bens e serviços finais produzidos na economia, registrou um crescimento positivo de 1% no primeiro trimestre do ano, segundo relatório do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Publicidade
Publicidade

O crescimento do PIB é um importante indicador para mostrar que a economia saiu da recessão, mas especialistas indicam que ainda é cedo pra comemorar. O caminho traçado pela equipe econômica do ministro da Fazenda, Henrique Meireles, preza pela austeridade e desde o seu início foi bem aceito pelo mercado.

A prognóstico futuro começa a melhorar para a economia, mas a incerteza sobre o futuro deixa os empresários receosos á fazer grandes investimentos. Portanto, a economia está voltando aos trilhos, mas o ritmo de crescimento deste trem deve ser muito devagar.

A possível prisão de Loures

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu novamente a prisão do ex-assessor da Presidência da República Rodrigo Rocha Loures. Janot encaminhou, nesta quinta-feira (1º), o pedido de prisão ao ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no STF.

Publicidade

O procurador fez novamente o pedido de prisão dado o fim da imunidade que o ex- assessor da Presidência tinha.

Loures era pessoa próxima ao presidente e foi flagrado recebendo uma mala de dinheiro com R$ 500 mil. Nas ligações e gravações que foram interceptadas pela Polícia Federal, ele negocia e combina os recebimentos da propina. Nas investigações preliminares, o presidente Michel Temer seria um dos beneficiários do dinheiro ilícito.

Caso o ministro do Supremo acate o pedido do procurador, a prisão de Loures pode desencadear desdobramentos imprevisíveis que comprometem diretamente Temer.

Cassação chapa Dilma-Temer

Na próxima terça-feira (6), os ministros do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) começarão a discutir sobre a cassação da chapa Dilma-Temer. O processo já tramita no TSE e fatos novos, como as delações recentes dos irmãos Batista, podem ou não ser incorporadas no processo. Caso o supremo decida incorporar, a chance de cassação aumentaria, dado ao enorme número de denúncias deflagradas recentemente.

Publicidade

Estas notícias nortearão o debate político para próxima semana, seus desdobramentos são imprevisíveis. O governo está cada vez mais fraco dada a base aliada cada vez menor. Em meio a este cenário, a economia das sinais de positivos, mas é suficiente para segurar um governo sem apoio popular? Ainda tem o TSE que pode ter papel decisivo para amenizar ou aumentar a crise. A certeza é que a próxima semana deve ser decisiva para continuação ou não do governo Temer. #Dilma Rousseff