O Senador Aécio Neves, do PSDB de Minas Gerais, não para de entrar em polêmicas. Nesta sexta-feira (2), mais uma revelação bombástica envolvendo o político acabou sendo dada pela grande mídia. De acordo com as reportagens, uma conversa de Neves teria sido grampeada. Nela, o Senador que disputou e perdeu a corrida eleitoral à presidência em 2018, conversa com o diretor de jornalismo da Record TV, Douglas Tavolaro. O conteúdo dá a entender que Aécio Neves está tentando "vender" uma entrevista de Michel Temer, presidente da República, ao canal.

Grampo mostra proximidade entre Aécio Neves e Michel Temer

Caso o grampo e o seu conteúdo sejam comprovados, ele pode indicar que Temer e Aécio eram bem mais próximos do que muitos imaginavam, diferentemente da argumentação dos advogados do peemedebistas.

Publicidade
Publicidade

O setor jurídico do presidente e solicitou e conseguiu que o inquérito contra Michel fosse separado do de Aécio, no processo referente à delação premiada de Joesley Batista, dono da JBS. O empresário disse que Temer teria dado o aval para que o silêncio do ex-deputado federal Eduardo Cunha fosse comprado. Já #Aécio Neves pediu R$ 2 milhões ao empresário. Segundo Joesley, o dinheiro seria para o tucano se defender da Operação Lava Jato.

Patrocínio da Caixa é negociado com Record em troca de entrevista com o presidente Michel Temer

Além de Aécio Neves, Douglas Tavolaro também teria conversado com o Ministro Moreira Franco, que tem acesso direto ao presidente da República. Ele dá a entender que a Record até entrevistaria Michel Temer, mas desde que o governo federal facilitasse um patrocínio da Caixa Econômica Federal, empresa pública.

Publicidade

A modalidade é ilegal, já que um governante não pode usar os bens públicos para o auto-favorecimento. Comprovada a ação de Temer, isso poderia ser, inclusive, um dos motivos para uma formulação de impeachment. Michel já tem mais de dez pedidos de abertura de seu impedimento. No entanto, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, não aceitou nenhum deles.

Caixa não aceitou patrocinar Record

Douglas fala em “juntar tudo num pacote e sair”. Em um trecho, Aécio cobra o ministro Moreira Franco para “entrar no circuito com o cara da Caixa” e ouve que ele já havia encaminhado a demanda da emissora. No fim das contas, a entrevista de Temer à Record nunca aconteceu. A Caixa Econômica também se negou a dar patrocínio a mais para a emissora e Temer está conseguindo contornar as notícias negativas e se mantém na presidência.

Ouça abaixo a conversa entre Aécio Neves e Douglas Tavolaro, diretor de jornalismo da Record TV: