Luiz Inácio Lula da Silva, ex-presidente, que está sendo acusado pelo Ministério Público Federal de ter recebido 3,7 milhões de reais em propina, de acordo com as pesquisas do #Datafolha, tem a preferência das intenções de votos para as eleições presidencial de 2018. Com 15% ficam na briga empatados, o deputado #Jair Bolsonaro (PSC) e a ex-ministra Marina da Silva (Rede).

As pesquisas foram feitas em vários cenários de candidatos. #Lula aparece em primeiro lugar em todos os momentos que participa, saindo na frente. O ex-presidente tem seus defensores ao longo da sua vida política; um deles é o Prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), que saiu em defesa de Luiz Inácio dizendo em outro momento que "o Lula precisa ser derrotado antes nas urnas, para então se tornar apenável", disse ele, segundo a coluna de Eliane Cantanhêde.

Publicidade
Publicidade

Doria explica: "Deixem o ex-presidente concorrer e ser derrotado. Ele precisa ser condenado primeiro pelo povo, e só depois pela Justiça, não ao contrário. É assim que ele tem de entrar para a história", declarou o prefeito tucano. Um eleitor comentou na própria página (DCM): "Certíssimo Doria, essa foi a coisa mais sensata que o sr. já disse até agora. Deixem o Lula disputar as próximas eleições.

Disputa em 2018

O cenário de intenções de voto para Presidência mostra a liderança de Lula. Uma nova pesquisa divulgada na segunda-feira (26) mostra que Lula (PT) manteve a liderança com 29% a 30% das intenções de voto, seguido por Marina da Silva e Jair Bolsonaro.

Bolsonaro registra tendência de alta, tinha 8% em abril de 2016, passou a 14% em abril e agora aparece com 16%, sempre no cenário em que o candidato do PSDB é o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

Publicidade

A rejeição de Alckmin cresceu para 34%, atrás apenas de Lula. O ex-ministro do STF, Joaquim Barbosa (sem partido), aparece com 11%, em quarto.

A pesquisa foi realizada pelo Datafolha entre os dias 21 e 23 de junho de 2017, com 2.771 entrevistados em 194 cidades. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos, com nível de confiança de 95%. Em caso do ex-presidente não disputar, o cenário fica mais conturbado, Marina lidera (22%), mas com vantagem mais apertada do segundo colocado, Bolsonaro (16%). Barbosa fica em terceiro (12% ou 13%).

De acordo com o site 'Carta Capital', no fundo é a grande resistência da elite brasileira em aceitar o resultado mais simples das pesquisas: Lula é o grande favorito para ganhar as eleições de 2018. A esta altura, apenas a violência judicial que urdem contra ele e contra seus eleitores poderia modificar o quadro.