O presidente Michel #Temer passa a viver a partir desta terça-feira dias decisivos para sua manutenção no governo. Isso porque o Tribunal Superior Eleitoral dará início à fase final do julgamento da chapa formada pelo peemedebista e por Dilma Rousseff, que venceram as eleições de 2014. Uma ação do PSDB denunciava possíveis abusos políticos e econômicos na campanha.

Mas, na avaliação de Luiz Inácio #Lula da Silva, o Lula, Temer não será deposto dentro desse processo. Para o líder petista, não houve um consenso dentro do campo da direita para estabelecer um novo nome para a sucessão de Temer. Lula fez essa afirmação à interlocutores, segundo a Agência Reuters e O Globo.

Publicidade
Publicidade

Lula também lamentou o fato de que as movimentações nas ruas não foram fortes o suficiente para estabelecer uma "onda" favorável às eleições diretas. Em termos políticos, o líder da esquerda acredita que o envolvimento entre o empresário Joesley Batista, da JBS, e Michel Temer, que tiveram conversa comprometedora vazada, não interferirá objetivamente no processo.

Ex-presidente brasileiro entre os anos de 2003 e 2011, Lula é a grande esperança do PT para a retomada do poder a partir de 2019. Ele tem tido bons resultados nas pesquisas prévias às eleições do ano que vem.