Desde que o relógio marcou meia-noite, de terça para quarta-feira (21), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a cúpula petista estão ansiosos e apreensivos. É que a qualquer momento o juiz federal Sérgio Moro pode proferir a sentença de #Lula no caso do tríplex do Guarujá.

Os petistas sonham com a possibilidade de Lula ser absolvido. Por outro lado, há aqueles que dão como certa a condenação do ex-presidente. Ao todo, Lula é réu em cinco processos – três delas da Operação #Lava Jato, cujo julgamento em primeira instância é feito por Sérgio Moro.

Defesa

A defesa de Lula entregou a Moro documento contendo 363 páginas em que explicam porque o homem que governou o país entre 2003 e 2010 deve ser inocentado do caso.

Publicidade
Publicidade

A defesa do ex-presidente enviou nota à imprensa em que reitera a inocência de Lula. A última frase da nota assinada por Cristiano Zanin Martins, Valeska Teixeira Martins e Roberto Teixeira é a seguinte: “Lula não é e jamais foi, portanto, dono do ‘tríplex do Guarujá’”.

A nota foi postada também no site de oficial de Lula e na página oficial do ex-presidente no Facebook. Aliás, nas redes sociais, Lula tenta de qualquer forma limpar sua barra e demonstrar que, caso seja condenado, estará sendo por uma grande injustiça e perseguição.

“Não perca seu tempo tentando explicar pra esse juiz o que ele sabe. O apartamento não é seu, mas o problema é que ele está querendo lhe prejudicar, pra depois dos prazos pra sua candidatura ele simplesmente chegar e falar que realmente não era seu este bendito apartamento.

Publicidade

Fiquem de olho tem muita grana envolvida e todos esses caras sabem da verdade”, comentou um seguido de Lula.

“Lula, não precisa se explicar tanto. Este povo te apoia mesmo sendo culpado”, ironizou uma internauta em postagem na página oficial do ex-presidente no Facebook.

“Lula tem que ser absorvido deste processo sem sombra de dúvida”, cravou outro seguidor do petista.

Eleições 2018

Caso seja condenado por Sérgio Moro, Lula ainda ficará elegível e poderá concorrer à Presidência nas eleições do ano que vem. Para ficar inelegível, o pré-candidato precisa ser condenado também em segunda instância.

A julgar pela velocidade da justiça brasileira, Lula poderá concorrer à Presidência em outubro de 2018 sem que sua causa tenha sido julgada na segunda instância – óbvio, esse julgamento depende de condenação na primeira.

Nas pesquisas de intenção de voto, Lula lidera em praticamente todos os cenários e derrota muitos dos adversários nas projeções de segundo turno. #Sergio Moro