A ex-ministra #Marina Silva (REDE) está internada sob observação num hospital de Brasília. Segundo sua assessoria de comunicação, no último sábado (03), ela sentiu fortes dores abdominais e teve que ser internada às pressas para realizar exames e os médicos darem um diagnóstico de seu problema.

A assessoria dela explicou que o motivo das dores ainda não foi revelado e encontra-se em fase de análise. O doutor responsável pelo seu tratamento é Dr. Luis Augusto Bianchi. De acordo com a assessoria de Marina, as pessoas serão informadas e atualizadas sobre os acontecimentos. 'Contamos com o apoio e oração de todos", disse em nota.

Publicidade
Publicidade

Marina Silva disputou a Presidência da República, em 2010, pelo Partido Verde (PV). Terminou em terceiro lugar com quase 20 milhões de votos. Em 2014, ela tentou novamente entrando no lugar de Eduardo Campos, que morreu vítima de um acidente aéreo. Ela chegou a ganhar 2 milhões de votos a mais em comparação com a eleição de 2010, mas também perdeu a disputa.

Hoje (05), é o dia Mundial do Meio Ambiente e Marina sempre teve em seus discursos preocupações com as matas do Brasil. Ela defende o desenvolvimento sustentável para que o país caminhe melhor no seu pleno funcionamento das instituições.

Vídeo de Marina apoiando Rodrigo Loures é falso

Está sendo divulgado um vídeo de Marina Silva apoiando com muito vigor o ex-deputado federal Rodrigo Rocha Loures. O ex-deputado foi filmado com uma mala cheia de dinheiro que, segundo as informações, iria diretamente para o presidente Michel Temer.

Publicidade

No vídeo, Marina apoia Loures e elogia o candidato a prefeito da cidade de São José dos Pinhais, Paraná. Ela diz que Loures é uma pessoa comprometida com o meio ambiente e confirma que seu apoio é para ele. "Apoio ele para prefeito de São José dos Pinhais", diz ela.

Em outro trecho do vídeo, ela afirma que o mundo precisa do nosso melhor. Muito aplaudida, ela enaltece elogios ao candidato. Porém, o vídeo é falso. Na verdade, ela apoia o pai do corrupto. A confusão se deu porque os dois têm nomes idênticos e são muito parecidos.

Naquelas eleições, Rodrigo Rocha Loures não foi candidato.

Chapa Dilma-Temer

A candidata à presidência da República acredita que o melhor caminho, no momento, é a cassação da chapa Dilma-Temer. Ela criticou a postura do presidente Temer de não explicar sobre o áudio gravado da JBS e de desqualificar o acusador.

Caso seja cassada a chapa, as eleições indiretas seriam feitas conforme manda a Constituição.