Após ter escapado da cassação no Tribunal Superior Eleitoral, Michel Temer terá que começar a se preocupar agora com outra frente, a Procuradoria-Geral da República (PGR). A expectativa é que Rodrigo Janot, procurador-geral da República, ofereça a denúncia contra o peemedebista essa semana. Para que o Supremo Tribunal Federal (STF) analise a denúncia, a Câmara dos Deputados precisará autorizar.

A ordem da tramitação é a seguinte: inicialmente, a PGR irá oferecer a denúncia contra Michel Temer. A Câmara dos Deputados deverá estabelecer uma comissão especial para analisar e votar. Posteriormente, o plenário da Casa Legislativa fará o mesmo.

Publicidade
Publicidade

No plenário, Temer precisa de no mínimo 172 votos para barrar a investigação. Caso menos de 172 deputados votem contra o andamento do processo, o STF irá julgar a denúncia.

Na noite da última sexta-feira (9), Michel Temer participou de um jantar com aliados e se disse confiante quanto aos votos da base aliada do governo na Câmara.

A expectativa do peemedebista é barrar a denúncia no âmbito político, onde ele pode controlar. O Planalto se preocupa com o que pode vir do STF, pois julga que apenar Gilmar Mendes e Alexandre de Moraes sejam "simpáticos" ao governo. #Dentro da política