A vida de Aécio Neves virou de ponta cabeça a partir do vazamento dos áudios de Joesley Batista, empresário e dono do grupo JBS. Em delação premiada, Batista afirma que o tucano havia solicitado cerca de R$ 2 milhões para pagar sua defesa dentro das investigações da Operação Lava-Jato.

A partir de então, Aécio foi afastado do mandato parlamentar no Senado Federal, se licenciou da presidência do PSDB e ficou impedido de viajar para fora do país. Em diversas notas já distribuídas à imprensa, ele nega veementemente qualquer tipo de ilegalidade na relação com Batista.

Em 23 de maio, ele fez as seguintes manifestações por meio de vídeo no Facebook: "Essas armações me tornaram alvo de suspeitas e geraram a prisão de meus familiares, que não tiveram quaisquer ato ilegal", garantiu, dizendo ainda que nunca "fez dinheiro" com a política.

Publicidade
Publicidade

Aécio alega que, no início do ano, pediu para que sua irmã Andrea procurasse Joesley e oferecesse a compra de um apartamento em que sua mãe vivia há 35 anos. O objetivo seria angariar recursos para o pagamento dos advogados. Andrea Neves e Frederico Pacheco, o Fred, primo de Aécio, acabaram sendo presos em uma operação da Polícia Federal deflagrada a partir da delação da JBS. #aecio