Para beneficiar o presidente da República #Michel Temer, o partido Solidariedade, que é da base aliada do governo, resolveu fazer uma substituição na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). O titular da comissão era o deputado Major Olímpio (SD-SP), mas agora ele foi substituído por Áureo (SD-RJ). O fato é que Major Olímpio já fez duras críticas contra Michel Temer e isso poderia, de certa forma, prejudicar o presidente. Ainda, Temer poderia ficar "mais tranquilo" a respeito da votação na comissão sobre a denúncia encaminhada pela Procuradoria Geral da República.

O deputado Major Olímpio não estaria sabendo da substituição, o gabinete oficial do deputado disse que ele não foi informado a respeito disto.

Publicidade
Publicidade

O novo titular da comissão, Áureo, conta que essa troca de deputados não teria nada a ver com a votação sobre a denúncia apresentada contra Temer. Áureo disse que não sabe se esta troca poderia dar uma aspecto de "tranquilidade" para o governo federal, ele cita que irá analisar a denúncia passo a passo.

Justificando a substituição com Major Olímpio, Áureo disse que foi para a CCJ porque quer ser relator sobre um projeto que trata de franquias referentes a provedores de internet e banda larga. O deputado contou que se tornar o novo titular foi determinado na primeira quinzena do mês de junho, negando estratégias que poderiam ter sido feitas pelo governo para "manipular" as votações.

Crise política

O governo fez com que os partidos aliados se mobilizassem para tentar barrar as delações premiadas do empresário Joesley Batista, dono da empresa JBS.

Publicidade

Agora, uma estratégia apontada a respeito da denúncia da PGR, foi substituir suplentes e titulares da CCJ, colocando apenas parlamentares que compactuam com o governo, defendendo ferozmente Michel Temer durante futuros debates.

Se dois terços da #Câmara dos Deputados aprovar, a denúncia de Temer chegará até o Supremo Tribunal Federal (STF). O objetivo do governo é evitar que chegue até o STF e até a primeira quinzena do mês de julho este processo seja derrubado na Câmara.

Um novo relator do processo é mais uma das estratégias do governo. O presidente da CCJ, Rodrigo Pacheco (PMDB-MG) deveria, pela visão do governo, apostar nos nomes de Alceu Moreira ou Jones Martins para serem um dos relatores, podendo beneficiar Michel Temer.

O Palácio do Planalto não quer que o tempo se alongue e esta denúncia demore muito para "ser resolvida", o fato é que quanto mais "problemas", maior a crise política do Brasil. #MajorOlímpio