A grave crise política brasileira que coloca em extremo risco a sustentação da base de apoio do governo do presidente da República, #Michel Temer, alcançou patamares ainda mais "tensos", a partir de uma reunião realizada pelas principais figuras do #PSDB no país.

O presidente sabe que precisa do apoio dos parlamentares do partido para que consiga dar andamento em assuntos complexos, como por exemplo, a aprovação de reformas estruturais para o Brasil, e que encontram-se ainda "estagnadas" no Congresso Nacional, em alusão às reformas trabalhista e da previdência social.

'Olheiro' eu reunião do PSDB

O presidente Michel Temer contou com a presença de um "olheiro" na reunião de cúpula do PSDB, realizada nesta segunda-feira (12), em Brasília.

Publicidade
Publicidade

Trata-se do ex-deputado federal Elton Rohnelt. Ele foi parlamentar durante os anos de 1990 e também no início dos anos 2000. Rohnelt foi nomeado pelo presidente da República como assessor especial da Presidência desde o mês de maio deste ano. Elton Rohnelt trabalha ao lado do presidente Temer no Palácio do Planalto, além de ser presidente do PSDB do estado de Roraima.

Uma das principais funções do assessor do presidente Temer é "aceitar" as relações entre o governo federal e o Congresso Nacional. O político assume posição na articulação política, diante de nomes que deixaram essa função, como o ex-ministro Geddel Viera Lima, que está envolvido nas investigações da Operação Lava Jato. Vale ressaltar que o ex-deputado Elton Rohnelt também foi vice-líder do governo do ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso.

Publicidade

Com a deflagração da grave crise política que assola o governo do presidente Michel Temer, desde sua posse, o assessor especial tenta agir, de modo que possa ajudar o mandatário do país. Ao participar de reunião de cúpula do PSDB nesta segunda, o assessor saiu do encontro com a resposta de que o PSDB vai se manter na base de apoio ao governo Temer.

Ele chegou a se manifestar perante à imprensa ao relatar que "o importante são as reformas, pois todo o resto é algo secundário", afirmou. Logo após as declarações, Rohnelt partiu diretamente para se encontrar com Michel Temer no Palácio do Planalto. Outro fato "inusitado" em relação ao "olheiro" do presidente Temer é que o assessor é conhecido como o "homem da pistola de ouro", em alusão à função de militar da reserva pela Aeronáutica. Rohnelt já chegou a servir na Região Norte do Brasil e obteve o apelido supra-citado, quando atuava como garimpeiro de minério nobre na região da floresta amazônica. #Lava Jato