O fato de o presidente Michel Temer ter sido inocentado na semana passada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), no processo pedindo a cassação da chapa Dilma-Temer, por irregularidades nas eleições de 2014, não encerrou as sucessivas batalhas que vêm abalando o Palácio do Planalto. Essa semana, a Casa pode ser, mais uma vez, "sacudida" com a possibilidade de o procurador-geral da PGR, Rodrigo Janot, apresentar denúncias incriminando Michel Temer. No foco da crise política,Temer viajou nesta segunda (19) à Rússia, objetivando melhores relações no comércio de carnes brasileiras. O presidente informou também, nesta segunda, a abertura de processo por calúnia, difamação e injúria, contra o empresário Joesley Batista.

Publicidade
Publicidade

Michel Temer deverá explicar se pretendeu obstruir a Justiça

Pesa sobre o presidente, as acusações de corrupção passiva, obstrução de Justiça e organização criminosa, originárias da #Conversa gravada por Joesley Batista, um dos donos da JBS, entregue à PGR, no contexto de delação premiada na Operação Lava Jato. Em depoimento à Polícia Federal, nesta sexta-feira (16), o empresário reafirmou as denúncias, e que a conversa de aproximadamente meia hora foi gravada no dia sete de março do corrente, nas dependências do Palácio do Jaburu.

Cunha diz à Polícia Federal que seu silêncio "nunca esteve à venda"

Pela conversa, a PGR entende, que Michel Temer concordou com Batista na compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha. O ex-deputado, que disse à Polícia Federal que seu silêncio " nunca esteve à venda", foi preso em outubro do ano passado, durante investigações da Lava Jato.

Publicidade

O ex-deputado foi condenado pelo Juíz Sergio Moro a 15 anos e quatro meses de prisão por corrupção passiva.

De acordo com o site G1.globo.com, o Supremo Tribunal Federal aguarda até segunda-feira (19), a conclusão de inquérito sobre obstrução da Justiça. Enquanto isso, o #Palácio do Planalto trabalha para dar celeridade à tramitação do processo na Câmara dos Deputados, esperando que este plenário rejeite autorização do Supremo para julgar mais esta acusação contra o presidente.

Eunício Oliveira retira nome de Aécio Neves do painel de votação

Nesta semana, o presidente do Congresso Nacional, Eunício Oliveira (PMDB-CE) informou à imprensa em geral, que retirou o nome do senador afastado, Aécio Neves, do painel de votações da Casa. Aécio Neves foi afastado do cargo de Senador da República, desde o dia 18 de maio, por determinação do ministro Edson Fachin.

Aécio neves foi gravado pedindo R$ 2 milhões a JBS

Mesmo estado afastado de suas funções, o nome de Aécio permanecia no painel. O senador afastado, que teve sua irmã, Andreia Neves e seu primo, presos na Operação Lava Jato, é investigado pela Procuradoria Geral da República, por ter sido gravado por ter sido gravado pelo empresário, Joesley Batista, da JBS, pedindo R$ 2 milhões ao empresário. #cassação