Nesta segunda-feira (12), o senador José Serra (SP) informou que os ministros decidiram permanecer no governo e que não pretende sair neste atual momento. A reunião foi realizada na noite de hoje, em Brasília, após três dias Temer ter sido julgado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A cúpula do #PSDB determinou que irá esperar o julgamento do presidente para decidir sobre a permanência na base do governo. Tal decisão foi tomada devido a crise que sobreveio ao governo de Michel Temer, no dia 17 de maio, quando foi divulgada a delação da JBS e informações que comprometiam a estrutura política do atual governo.

O presidente foi acusado sob suspeita de cometer diversos crimes, como corrupção passiva, obstrução à Justiça e organização criminosa.

Publicidade
Publicidade

Ao anunciar a decisão tomada pelos tucanos na reunião de hoje, José Serra sinalizou que o encontro dos ministros foi marcado por um ar de harmonia e concordância. Ele disse que, em outro momento, se for o caso, o PSDB irá analisar se pretende sair, mas que no momento não tomará tal atitude.

José Serra afirmou que o importante é “trabalhar” pelo Brasil e que o governo está cumprindo os compromissos feitos ao partido. Serra disse que não discutiram as eleições indiretas, e que eles têm um acordo com o país de ajudar e contribuir para o crescimento.

Não obstante, mesmo indicando a permanência no governo, Serra disse que em caso de denúncia formal contra Temer, eles podem decidir sair. Diante disso, os tucanos afirmaram que podem se reunir novamente se a Procuradoria-Geral da República (PGR) fizer a denúncia.

Publicidade

Segundo políticos, a abertura do processo contra o presidente pode ser solicitada pelo procurador Rodrigo Janot a partir da próxima semana.

Participação de representantes políticos na reunião

A reunião, que durava há quase três horas, contou com a participação de ambas as bancadas do Congresso. Haviam 10 senadores e 47 deputados federais no total. Diversas lideranças do país marcaram presença na reunião, dentre elas, é possível citar Geraldo Alckmin, que é o governador de São Paulo, e João Doria, o prefeito de São Paulo, que estão sendo cogitados como possíveis candidatos à presidente nas próximas eleições. Além deles, o encontro contou com a participação dos governadores de Paraná, Beto Richa, de Goiás, Marconi Perillo e do Pará, Simão Jatene. Presidentes dos diretórios regionais e ministros de Temer também estiveram presentes. #Michel Temer