O juiz federal Sérgio Moro já havia anunciado que a sentença final no caso do tríplex do ex-presidente da República Luiz Inácio #Lula da Silva seria dada após a condenação do ex-ministro Antonio Palocci, que foi condenado a 12 anos de prisão. O ex-presidente Lula é acusado de ocultar um imóvel no Guarujá, litoral de São Paulo, e esse apartamento seria um recebimento de propina por favorecer a empresa OAS em firmamentos de contrato com a Petrobras.

Agora, Sérgio Moro se concentra em encerrar o caso do tríplex que "supostamente" seria do ex-presidente Lula. A sentença final será dada nos próximos dias e já existem diversas especulações sobre o que o juiz federal irá decidir nesse caso.

Publicidade
Publicidade

Qual será a sentença final?

O juiz federal não pode se pronunciar antes de anunciar a sua última palavra no caso, porém, a maior especulação que aconteceu nas últimas semanas foi da revista "Isto É", que firmou uma condenação de 22 anos de prisão para o ex-presidente Lula.

A defesa e o ex-presidente Lula acreditam em uma absolvição do réu, já que afirmam que o imóvel sempre foi da empreiteira e, inclusive, estava relacionado com uma dívida da empresa com a Caixa Econômica Federal, porém, o juiz federal tem um pedido do MPF (Ministério Público Federal), que pode ser aceito na sentença final e alega que Lula estava ocultando esse patrimônio que representava pagamento de propinas.

Algumas delações acusaram Lula como o comandante do esquema de pagamentos de propinas dentro da OAS, porém, o ex-presidente nega toda as acusações.

Publicidade

Outro argumento utilizado como peça de acusação contra o ex-presidente Lula foi que o próprio visitava o apartamento para supervisionar obras que estavam ocorrendo, mas a defesa afirma que as mudanças feitas no tríplex foram para aumentar o interesse do ex-presidente, que viria a comprar o imóvel no litoral de São Paulo.

Depoimento de Lula

O petista afirmou que não compraria o imóvel porque sua esposa não gostava de praia, e chegou a levantar a hipótese de que se a falecida Dona Marisa estava interessada no apartamento, era para usá-lo como uma forma de investimento e não como moradia ou residência para temporada, já que ele afirmou não ter conhecimento das negociações com a empreiteira sobre o apartamento.

Em fases do depoimento, o ex-presidente afirmou que o apartamento era muito pequeno para sua família e nunca o compraria. Havia, inclusive, um projeto para construção de elevador no tríplex e o mesmo afirmou que se fosse para construir um elevador, ele construiria em sua casa onde vive há tantos anos. #Lava Jato #Sergio Moro