O juiz federal responsável pela operação Lava Jato no estado do Paraná, Sérgio Moro, voltou a discutir com Cristiano Zanim Martins, um dos advogados de defesa do ex-presidente da República Luiz Inácio #Lula da Silva. As farpas foram trocadas durante a audiência de depoimento do ex-deputado do PP (Partido Progressista), Pedro Corrêa, que foi ouvido como testemunha de acusação contra o ex-presidente petista por uma videoconferência.

O advogado de Lula estava acompanhando a audiência para defender o ex-presidente, até que o próprio questionou algo que o Côrrea já tinha afirmado em um outro depoimento feito que aconteceu em setembro do ano passado, onde o ex-deputado afirmou a informação que foi passada para ele pelo Ministério Público dizendo que faltavam "alguns" aspectos em sua delação premiada.

Publicidade
Publicidade

Após o ex-deputado ter tentado fechar o acordo de colaboração premiada, o STF negou o pedido alegando que faltavam provas, e Corrêa já havia afirmado que precisava complementar seu depoimento. Zanim, advogado de Lula, acabou pedindo novamente essa informação ao delatado e isso irritou Moro.

Discussão no meio de depoimento

O juiz Sérgio Moro começou uma discussão após a insistência do advogado Zanim. O magistrado disse que a testemunha não poderia responder as perguntas, pois já havia respondido as mesmas anteriormente, e afirmou que não era "relevante".

Então Zanim responde: "O senhor vai negar que a testemunha de acusação responda essa questão?".

Moro rebateu dizendo que o advogado estava querendo induzir o delator e tentando confundir a cabeça do próprio. Logo após Zanim afirmou que nenhuma das perguntas que fez eram indutivas.

Publicidade

Após isso, Zanim perguntou se Corrêa tinha sido cassado por quebra de decoro parlamentar no ano de 2006 e se o juiz federal Sérgio Moro já havia o condenado em outra ação.

O juiz responsável pela Lava Jato se irritou nesse momento, afirmando que a defesa estava querendo humilhar a testemunha de acusação, citando fatos que são notórios e não precisam ser questionados.

Delator condenado

O delator que foi condenado à prisão domiciliar por quebra de decoro parlamentar, em 2006, agora foi condenado pelo juiz Sérgio Moro a 20 anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro.

Pedro Côrrea foi deputado pelo PP (Partido Progressista), e agora tenta reduzir sua pena, fazendo delações premiadas e apresentando provas contra o ex-presidente Lula. #Sergio Moro