Vários músicos e artistas se reuniram, na tarde deste domingo (4), em São Paulo, em uma #Manifestação pedindo eleições diretas e a saída do presidente Michel Temer. Músicos conhecidos nas grandes mídias como a cantora Pitty, Chico César, Tulipa Ruiz, Simoninha, Emicida, Péricles, Paulo Miklos, Otto, alguns blocos de carnaval da capital, Criolo e o líder dos Racionais Mc’s, o rapper Mano Brown se apresentaram no palco e deixaram sua mensagem de apoio ao movimento.

As apresentações aconteceram no Largo da Batata, em Pinheiros, Zona Oeste da capital. O movimento contou com o apoio dos deputados federais Ivan Valente (Psol-SP) e Paulo Teixeira (PT-SP), Luiza Erundina (Psol-SP) e o ex-senador e atual vereador da cidade, Eduardo Suplicy.

Publicidade
Publicidade

As apresentações começaram com o cantor Chico César, que aproveitou o momento para criticar o Secretário de Cultura de São Paulo, André Sturm. O que motivou as críticas foi a gravação que revelou a ameaça de agressão que André Sturm fez contra Gustavo Soares. Vários artistas e a liderança das manifestações também criticaram Sturm pela ameaça contida na gravação, Gustavo Soares faz parte do coletivo cultural que administra a Casa de Cultura Ermelino Matarazzo.

Nos intervalos entre as apresentações, líderes do movimento subiam ao trio para discursar. Sempre o discurso era pedindo a saída de Temer da presidência, solicitando o apoio a eleições diretas e criticando as reformas Trabalhista e Previdenciária, principais pautas do atual governo.

Os movimentos Frente Brasil Popular, Povo Sem Medo, Central de Movimentos Populares, Levante Popular da Juventude e pela União Nacional dos Estudantes (UNE) e Central Única dos Trabalhadores (CUT) também participaram.

Publicidade

Até o fim da tarde deste domingo (4), não havia estimativa do número de manifestantes.

As manifestações contra #Michel Temer

As manifestações que apoiam a saída do atual presidente Michel Temer vêm acontecendo desde o dia 21 de abril. Os movimentos foram motivados após a divulgação das delações premiadas dos irmãos Joesley Batista e Wesley Batista, donos do frigorífico JBS. Nos áudios, segundo a reportagem divulgada pelo jornal “O Globo”, o presidente Michel Temer aparece dizendo: “Tem que manter isso, viu?”, quando o empresário informou que estava dando uma mesada para Eduardo Cunha e também para Lúcio Funaro, para ambos permanecerem calados na prisão.