O governo #Temer sofreu uma importante derrota na última terça-feira, 20, quando a Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado Federal votou contra o parecer do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) da reforma trabalhista - uma das grandes bandeiras de Temer até então.

A derrota foi por 10 votos a 9, e, no lugar, foi aprovado um texto alternativo feito pelo senador Paulo Paim (PT-RS). Ainda assim, o presidente Michel Temer manteve o otimismo quanto a votação que ocorrerá no plenário do Senado, prevista para julho.

"Não se trata de uma surpresa negativa, não. Essas votações são assim mesmo, com várias fases. Algumas você ganha, outras você perde.

Publicidade
Publicidade

Mas o que importa é no plenário. E o Brasil vai ganhar nessa votação do plenário", disse o presidente em entrevista na Rússia, onde está em viagem oficial.

"Lembrem que na Câmara dos Deputados a urgência não foi votada, mas depois foi para o plenário e ganhamos com facilidade", lembrou Temer. "No plenário vamos ganhar, é maioria simples", aumentou.

Depois ser aprovada na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) e rejeitada na CAS, a proposta da reforma trabalhista passa à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) antes de ir ao plenário do Senado.