A atual crise econômica e financeira pela qual o Brasil está passando tem atingido não só políticos, mas também artistas que tinham seus nomes ligados aos mesmos. Esse é o caso da atual confusão envolvendo o atual presidente Michel Temer e o grupo #JBS, mas precisamente envolvendo a delação feita por Joesley Batista, um dos donos da JBS, sobre a cobrança de propina realizada pelo atual presidente.

O nome do ator #Tony Ramos foi muito falado logo que saiu o escândalo envolvendo a empresa #Friboi na Operação Carne Fraca e agora com a delação de um dos donos da empresa. O ator da Rede Globo, um dos mais prestigiados na emissora e no mercado publicitário, era garoto propaganda da marca de carne e depois da última confusão envolvendo um dos donos da empresa resolveu romper o contrato que mantinha com a gigante do ramo alimentício.

Publicidade
Publicidade

De acordo com informações da colunista Monica Bergamo, o contrato do ator com a empresa era de 5 milhões de reais.

Em uma entrevista para uma rádio Gaúcha, nesta terça-feira (20), Tony deixou claro que foi surpreendido com a delação de Joesley, um dos donos da empresa, e que isso mudou tudo na sua relação com a empresa. O ator disse que, após essa crise na instituição, ele se sentiu incomodado em continuar emprestando seu nome para a empresa.

Tony deixou bem claro que não se arrepende, nem se envergonha, de ter feito propaganda do produto, pois ele só anunciou um produto que fazia uso, produto esse que consumia em sua casa. Ele disse que não se arrepende de ter recebido para anunciar algo que fazia consumo.

A respeito de Joesley Batista, o delator do esquema de corrupção e propinas envolvendo o presidente Michel Temer, Tony esclareceu que nunca teve intimidade com o mesmo.

Publicidade

Segundo o ator, ele esteve pessoalmente com Joesley durante dois momentos: na comemoração de um ano da campanha que estava sendo um sucesso e depois em um coquetel quando Roberto Carlos foi contratado pela empresa.

Segundo Tony Ramos, a sua relação sempre foi com a agência de publicidade que regia o seu contrato e que ao saber do esquema de corrupção, seu sentimento foi de susto, surpresa e melancolia, que foi muito além de sentir raiva.

Tony não é o único artista que tinha seu nome ligado à empresa. Outra artista que tinha seu nome ligado ao grupo JBS e que também fez questão de romper com o contrato milionário foi a apresentadora Fátima Bernardes. O valor do contrato da Fátima era de 1,5 milhões para seis meses de propaganda.