Nesta segunda-feira (12), o presidente #Michel Temer apareceu em vídeo afirmando que não tem a pretensão de interferir nos poderes da República, e que não permite tal atitude. No vídeo que foi divulgado hoje não há menção de Temer a respeito da investigação supostamente feita pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin) ao ministro do Supremo Tribunal Federal (SFT), Edson Fachin. Não obstante, Temer diz que não houve e que não consente nenhuma intromissão.

O presidente falou em vídeo, que tem insistido em defender os valores que fundamentam a Constituição Federal, e que preza pela independência defendida em lei.

Na última sexta-feira (09), Michel Temer divulgou em nota que não houve investigação feita pela Abin a respeito da vida de Fachin, o relator da operação Lava Jato.

Publicidade
Publicidade

Entretanto, segundo o Planalto, a nota não conseguiu diminuir a tensão provocada com o judiciário.

Tanto a presidente do Supremo, Cármen Lúcia, quanto o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Mendes, sentiram-se provocados com a situação. E hoje, a presidente do Supremo afirmou que não há questionamentos quanto a palavra do presidente.

Denúncias são 'artificiais', segundo presidente

Ainda no vídeo, Temer diz que as denúncias feitas ao governo dele são apenas “artificiais” e “montadas”. Ele disse que não vai permitir que o Brasil enfrente uma possível ditadura, pois, segundo ele, o caminho de quem busca justiça pode se tornar um caminho trágico que leva a uma ditadura e põe em risco a democracia.

Temer fala sobre as reformas que foram propostas em seu governo e afirma que elas foram necessárias e importantes para contribuição do crescimento do país.

Publicidade

Ele destaca em sua fala que em seu governo sempre houve “independência” e “harmonia” e que as reformas possibilitaram que o Brasil voltasse ao caminho do crescimento.

O presidente enfatizou bastante a importância das reformas, que segundo ele, possibilitam que as relações de trabalho sejam modernizadas e que corrijam a injustiça e a desigualdade do sistema previdenciário.

Em fala, Temer diz ainda que espera contar com a ajuda do Congresso Nacional o apoiando, e que não irá “esmorecer” diante das acusações. Ele usa as palavras “coragem” e “determinação” para descrever que irá continuar seguindo firme em seus objetivos, que segundo ele, consiste em propiciar o crescimento do país e propor reformas “ambiciosas” no sistema previdenciário brasileiro. Ao finalizar o vídeo, o presidente falou que “o país não pode mais esperar, nem parar”. #Política