O juiz federal paranaense Sérgio Moro e o advogado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltaram a discutir, nesta segunda-feira (5), durante audiência do depoimento do ex-deputado do Partido Progressista, #Pedro Corrêa.

A confusão aconteceu quando o advogado queria saber se a testemunha confirmava uma afirmação dita num outro depoimento do ano passado. Na época, Pedro Corrêa havia comentado que o Ministério Público Federal (MPF) tinha informado para ele que faltavam informações para as denúncias contra Lula, por essa razão, o ex-deputado decidiu colaborar e fornecer mais dados.

Sérgio Moro não gostou da pergunta feita pelo advogado, que queria contestar o MPF.

Publicidade
Publicidade

Moro o advertiu dizendo que Corrêa já tinha falado sobre isso e respondido essa questão anteriormente. Zanin insistiu e afirmou que o seu questionamento era importante para o caso. Moro rebateu dizendo que o advogado estava interpretando o ocorrido equivocadamente. "O senhor está querendo induzir a testemunha", disse Moro.

Veja o vídeo:

Humilhar a testemunha

O juiz interrompeu o advogado e perguntou se ele tinha mais alguma pergunta que não seja indutiva para fazer. Zanin voltou a questionar se a testemunha pode confirmar se teve o mandato parlamentar cassado por quebra de decoro. Corrêa respondeu que sim. "O senhor já foi condenado por esse juízo?", pergunta Zanin.

Nesse momento, o magistrado interrompe novamente a audiência e fala que a questão está indeferida, pois isso é um fato notório que não necessita de explicação: "A defesa está querendo humilhar a testemunha doutor?", pergunta Moro.

Publicidade

Zanin se defendeu dizendo que está seguindo o Código de Processo Penal e que a pergunta pode ser feita à testemunha. Moro retrucou e disse: "Está indeferido doutor".

Desconhecido

O ex-deputado cumpre prisão domiciliar por razões médicas. Ele já foi condenado a mais de 20 anos pela #Lava Jato por crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Corrêa achou estranho Lula dizer que não conhecia ele, em seu depoimento em Curitiba. O depoente mostrou um álbum com fotos de uma reunião onde ele estava presente juntamente com o ex-presidente. As fotos serão anexadas ao processo. Ele afirmou que jamais foi um desconhecido de Lula, pois ele vivia no Palácio do Planalto, porque era presidente do partido e participava de duas ou três reuniões por mês do conselho político.

A testemunha acabou desmentindo o que Lula falou de não conhecê-lo e não ter nenhuma relação com ele. #Sergio Moro