O presidente da República Michel #Temer está sendo acusado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, na denúncia onde é apontado o crime de corrupção passiva, investiga-se que Temer tenha recebido R$500 milhões em propina descoberta por delação premiada de Joesley Batista. O pedido foi parar na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), onde foi votado nesta quinta-feira(13) e foi negado após votação por 40 votos a 25.

Em defesa do pedido de acusação, Sérgio Zveiter (PMDB-RJ), relator na CCJ, afirma que o presidente utilizou de manobras políticas para arquitetar sua vitória, pois houve treze trocas permitidas de deputados nos últimos momentos para a votação.

Publicidade
Publicidade

Zveiter condena esse ato falando que Temer está negando à população o direito de saber a verdade sobre os fatos acontecidos.

O relator também acusa o réu de ter comprado votos, pois trinta e oito dos quarenta deputados que foram contra a abertura do processo de investigação, tiveram liberados R$141 milhões em emendas parlamentares. Essa quantia se refere ao mês de junho, logo após a delação premiada de Joesley Batista, que foi usada como prova contra o ocupante do cargo máximo do poder executivo.

Na bancada dos tucanos, apenas dois parlamentares foram contra o pedido de abertura, Elizeu Dionizio (MS) e Paulo Abi-ackel (MG), há relatos de pressão do governador do estado de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, para que ambos votassem a favor do presidente. De acordo com Zveiter, que também é advogado, o presidente poderia, com a compra de votos, ser investigado por obstrução à justiça, crime que ainda não está sendo investigado.

Publicidade

Por fim, Zveiter reforça que a derrota na CCJ não é do procurador que está acusando o presidente, e sim da nação brasileira.

E agora?

O pedido irá em votação no plenário, e precisará de 342 dos 513 deputados da Câmara, ou seja, dois terços da casa para que o presidente consiga realmente a vitória sobre o pedido de investigação. Ambos os lados, estão a procura de deputados para a votação, mas a acusação afirma ter a maioria depois de conquistar dissidentes de outros partidos.

Bolsonaro diz que votará a favor da cassação de Michel Temer

O deputado Jair Messias Bolsonaro [VIDEO] (PSC) em resposta as especulações sobre ter suas emendas aumentadas afirma que votará a favor da cassação do mandato do atual presidente da república Michel Temer. Essa resposta ocorreu devido a provocação do jornal 'Os Pingos nos Is', da jornalista Joice Hasselmann, o deputado afrontado decidiu gravar um vídeo esclarecendo seu posicionamento independente de sua emendas liberadas ou não. #RodrigoJanot #cassação de Temer