Pela frente, muito trabalho está reservado à defesa de #Lula, que foi condenado nesta quarta-feira pelo juiz federal Sérgio #Moro, da Operação Lava-Jato, a 9 anos e 6 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Cristiano Zanin, advogado do ex-presidente da República, se manifestou logo após a divulgação da sentença de Moro e falou em "perseguição política".

Em comunicado oficial divulgado à imprensa, a defesa do líder petista garante que a sentença teve motivações políticas e que Sérgio Moro "deveria se afastar do exercício de suas funções".

"Nenhuma evidência clara que culpa foi produzida, enquanto provas irrefutáveis de sua inocência foram descaradamente igonaradas", lamenta a nota dos advogados de Lula.

Publicidade
Publicidade

Zanin também reclamou da composição do texto da sentença de Moro sobre Lula. O advogado disse que apenas cinco parágrafos, de um total de 962, foram reservados às provas de inocência dadas pela defesa. Por outro lado, segundo o advogado, o depoimento de Léo Pinheiro, da OAS, chega a ocupar 29.

Desde a Constituição promulgada em 1988, essa é a primeira vez que um ex-presidente brasileiro é condenado no âmbito criminal. Lula poderá responder em liberdade.