A #Argentina terá o auxílio do Brasil para criar uma equipe com investigadores que irão apurar as denúncias do pagamento de propina realizados pela Odebrecht no país. Integrado por investigadores dos dois países, o grupo irá averiguar as informações reveladas por executivos da empreiteira de que 35 milhões de dólares de propina foram pagos a autoridades argentinas como forma de conseguir benefícios em obras de infraestrutura realizadas no país vizinho. As informações foram reveladas pelo portal G1.

Segundo noticiado, os argentinos estariam aguardando uma posição do Brasil para iniciar a apuração que deve gerar uma operação similar à Lava-Jato brasileira.

Publicidade
Publicidade

No mês passado, o Procurador-Geral da República do Brasil, Rodrigo Janot, assinou um acordo com a Procuradora-Geral da Argentina, Alejandra Gils Carbó, para iniciar a cooperação entre os dois países nas investigações de corrupção. Apesar dos avanços, há na Argentina uma dificuldade pois o país não possuí uma lei para casos de delação premiada, como existe no Brasil.

Estaria fator estaria atrasando o início dos trâmites burocráticos da investigação, já que – a exemplo do que ocorreu no Brasil – a #Odebrecht só aceitaria cooperar e divulgar nomes de agentes que receberam propina após acertar um acordo com o Ministério Público do país.

Segundo noticiado pelo portal brasileiro, o acordo realizado entre Brasil e Argentina prevê a troca de informações entre policiais e investigadores dos dois países, além da visita de autoridades argentinas do Brasil em busca de provas que mostrem o envolvimento da empreiteira no pagamento de propinas feitos no país.

Publicidade

#Lava Jato