A presidente do Supremo Tribunal Federal (#STF), Cármen Lúcia, acabou por "sorte" deixando de comparecer em um evento neste último sábado (08), Cármen seria homenageada em Belo Horizonte. O fato da ministra do Supremo ter "sorte" é que o evento foi movido por vários protestos contra a Suprema Corte brasileira.

Em cartazes, estava escrito que "juiz não é celebridade", e que os juízes do Supremo são partidários, enfatizando que eles deveriam julgar as pessoas e não fazer uma espécie de política. Em um cartaz, o nome de Cármen Lúcia foi escrito da seguinte maneira: "KKkkkkkkármen Lúcia". A simbologia de "k" sinaliza risadas e é muito utilizado em redes sociais como o Facebook e aplicativos como o WhatsApp.

Publicidade
Publicidade

Um grupo de cerca de 15 pessoas só estava esperando a ministra do Supremo chegar para dar mais ênfase no protesto. Uma das manifestantes, a professora de filosofia, Anna Karla Santos Costa, 53 anos, disse que o STF está corrompido. Ao que tudo indica, os manifestantes estariam dando apoio à ex-presidente Dilma Rousseff. Havia cartazes pedindo que o impeachment fosse anulado, dizendo que isso não foi correto com a democracia que o Supremo defende e dão uma indireta, falando que "defendem um bandido", que poderia ser interpretado como o atual presidente da República, Michel Temer.

As pessoas que manifestavam também deixaram claro que defendem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, cartazes pediam "Lula livre, democracia viva", isso remete que toda a manifestação foi feita por petistas, através dos coletivos Alvorada e Linhas do Horizonte.

Publicidade

Nesta última sexta-feira (07), Cármen Lúcia divulgou que ela se sente como "mulher que apanha", dizendo-se receosa com as decisões que estão sendo feitas no Judiciário. Manifestantes presentes no evento afirmaram que não viram essa declaração da ministra, mas enfatizaram que quem realmente "apanhou" foi Dilma Rousseff. O partido de Dilma acabou "despencando" com tantas acusações de corrupção e a ex-presidente acabou sendo retirada do cargo. Atualmente, Michel Temer quem assume o lugar de Dilma, ele também está vivenciando vários escândalos de corrupção em seu governo, envolvendo ministros e ele próprio.

Esta não seria a primeira vez que Cármen Lúcia e o Supremo são alvos de críticas, em uma palestra na PUC (Pontifícia Universidade Católica), cartazes remetendo a "destruição" da democracia foram colocados. #CármenLúcia #PT