O momento não é dos melhores, mas o presidente Michel Temer tenta não perder o bom humor. Nesta quinta-feira, ele sofreu um duro golpe com a divulgação da pesquisa CNI/Ibope, que aponta um índice recorde de rejeição com apenas 5% de aprovação ao seu governo. Mas, horas depois, houve espaço para brincadeira.

Em um evento no Palácio do Planalto, em Brasília, ele anunciou o Programa de Concessão dos Aeroportos em localidades como Porto Alegre, Salvador, Florianópolis e Fortaleza, e disse que vai solicitar a vinda de um "puxador de #Palmas" para as cerimônias desse nível pois entende que os seus ministros estão sendo pouco reconhecidos.

Publicidade
Publicidade

"Está faltando palmas. Já disse para o Moreira (secretário-geral da presidência) e para o Padilha (Casa-Civil) que na próxima ocasião vamos trazer um puxador de palmas. Alguém puxa e os outros batem", brincou o presidente.

O presidente reafirmou que a "recuperação da economia" passa diretamente pelo trabalho do seu grupo de ministros, e que por isso eles deveriam ser mais reconhecidos. Na próxima quarta, dia 2, Temer novamente precisará dos seus ministros. Os que têm mandato de deputado voltarão à Câmara para votar contra a denúncia que ameaça o cargo do presidente. #Temer