O ex-presidente da República [VIDEO], Luiz Inácio #Lula da Silva, decidiu mais uma vez, se manifestar a respeito do processo que envolve a compra do apartamento de luxo tríplex na praia de Astúrias, na cidade litorânea do Guarujá, no estado de São Paulo e também sobre o bloqueio de vários de seus bens, por determinação do juiz Sérgio Moro, responsável em primeira instância, pela condução dos trabalhos da força-tarefa da Operação Lava Jato, a partir da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no estado do Paraná.

No processo que envolve a aquisição do apartamento de alto padrão no litoral paulista, o ex-presidente Lula acabou sendo condenado a mais de nove anos e seis meses de prisão, por decisão do juiz federal paranaense.

Publicidade
Publicidade

Entretanto, para que o ex-mandatário do país seja efetivamente preso, torna-se necessária uma condenação em segunda instância, em processo que está sendo migrado para o Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF4), sediado em Porto Alegre, no estado do Rio Grande do Sul.

Bens bloqueados

Na última quarta-feira (19), o juiz Sérgio Moro solicitou que fosse realizado o bloqueio e consequentemente, o sequestro de alguns bens que eram atribuídos ao ex-presidente Lula. Dentre os bens passíveis de sequestro, encontram-se três apartamentos de Lula, além de dois automóveis, um terreno e uma quantia de cerca de R$ 606 mil em quatro contas bancárias atribuídas ao petista. De acordo com a decisão de Sérgio Moro, os valores sequestrados, servirão para ressarcir os cofres da Petrobras, em cerca de R$ 16 milhões em prejuízos reparados.

Publicidade

Lula resolveu fazer "ironias" com relação ao não bloqueio de uma perua de sua propriedade por ser um veículo antigo. Segundo Lula, "o juiz Sérgio Moro teria sido condescendente com ele, já que havia deixado livre de sequestro, uma perua F1000, de ano 1984, e que havia sido roubada em 2002", segundo entrevista dada pelo petista à imprensa em um canal do Youtube, nesta quinta-feira (20). Em relação ao veículo mencionado por Lula, Sérgio Moro foi contundente ao afirmar que "não se trataria de um bem com valor representativo".

Lula foi ainda mais longe com suas ironias, ao dizer que em se tratando da perua, "torce muito para que a encontrem e que possam devolvê-lo para que possa voltar a curti-la", já que o petista se recordava que "a roubaram no dia em que havia deixado de fazer o seguro do veículo, pois, não queria fazê-lo por se tratar de um veículo muito velho".

Defesa se manifesta sobre bloqueio de bens

A defesa do ex-presidente Lula se manifestou a respeito do sequestro dos bens e das contas bancárias atribuídas a Lula, considerando como algo "ilegal e abusivo, o que se caracteriza por ter retirado de Lula, a disponibilidade de seus bens e valores, o que prejudicaria a sua subsistência, o que consistiria em uma arbitrariedade deste Juízo". #Lava Jato #Corrupção