O deputado Sergio Zveiter (PMDB-RJ) é o relator da denúncia que corre na CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania). Nesta segunda-feira (10), Sergio deu seu parecer sobre a denúncia contra o presidente da República, #Michel Temer, feita pela Procuradoria Geral da República. Sergio rebateu a defesa do presidente alertando que "não é uma denúncia inepta".

Após dar seu parecer sobre o tema, ocorreu uma discussão entre Sergio Zveiter e o deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS), ambos são colegas de partido. Perondi teria provocado Sergio dizendo a seguinte frase: "Você foi um bom promotor". Indignado e irritado com a afirmação do colega, Zveiter não se conteve e disse claramente que Perondi "é um merda" e que, por ser um "merda", não merecia "levar um soco" por conta disso, o deputado chegou a dar dois tapas nas costas de Perondi.

Publicidade
Publicidade

Sergio Zveiter tem facilidade com lutas, o deputado é faixa preta em jiu-jitsu.

Após esse desentendimento, Zveiter foi até a mesa de Carlos Marun (PMDB-MS) contar o que havia acontecido. Sergio falou que tinha saído no braço com Perondi e isso armou mais uma discussão com outro deputado, que também é gaúcho como Perondi e peemedebista, Mauro Pereira.

Zveiter contou o por quê de não ter machucado Perondi: "Disse a ele que não dispensaria a ele o tratamento dispensado aos moleques que o acompanham".

Mesmo partido de Temer, mas opinião contrária

Sergio Zveiter é do mesmo partido que o presidente Michel Temer, mas mesmo assim demonstrou ser a favor para que a denúncia que circula na Câmara dos Deputados chegue até o Supremo Tribunal Federal (STF). O deputado já havia alertado que seria contra Temer e que iria apresentar um parecer de forma independente, que fosse de encontro com análises jurídicas.

Publicidade

Zveiter é advogado e ficou durante dois mandatos atuando na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) do Rio de Janeiro.

O deputado acredita que há sérios indícios que façam com que essa denúncia seja aceita, ele também enfatiza que não é algo fantasioso. No seu parecer, Sergio começou enfatizando como foi apresentada a denúncia de Rodrigo Janot, ele nota que foi feita em cinco etapas, sendo a quarta o fato do ex-assessor especial de Temer ser encontrado com uma mala de propinas no valor de R$ 500 mil.

Sergio também comenta sobre a defesa de Temer, apresentada pelo advogado Mariz. Segundo Zveiter, a apresentação foi feita de forma "estruturada" em 98 páginas, ele citou o fato da defesa dizer que as provas são ilícitas. #Corrupção #Câmara dos Deputados