A #Crise política que atingiu frontalmente o governo do presidente da República #Michel Temer foi alvo de análise por parte de uma consultoria, em relação à possibilidade de que o presidente do país, consiga ou não cumprir o mandato presidencial até o ano de 2018. O trabalho foi desempenhado pela Consultoria Internacional Eurásia que fez a verificação do risco político inerente à grave situação que permeia a realidade do país.

O presidente Temer enfrenta várias acusações, a partir do conteúdo divulgado do acordo de colaboração premiada firmado entre a Procuradoria-Geral da República e o empresário Joesley Batista, dono da companhia JBS, líder na venda de carnes processadas no Brasil e uma das maiores empresas desse setor alimentício em todo o mundo.

Publicidade
Publicidade

Chances de terminar o mandato presidencial

De acordo com as análises da Consultoria Eurásia, a avaliação é que o presidente da República consiga cumprir o seu mandato como mandatário do país, já que segundo as estimativas, ele ainda dispõe de um capital político suficiente para que se mantenha no cargo.

Entretanto, há diversas "ameaças" em curso, como por exemplo, a escolha do deputado federal Sérgio Zveiter como relator do processo contra o presidente na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) na Câmara Federal, que é visto como alguém não alinhado aos interesses do Palácio Planalto, além dos riscos com a possível implementação de um acordo de colaboração premiada que pode ser selado entre o ex-deputado Eduardo Cunha e a Procuradoria-Geral da República. Deve-se também levar em conta os riscos de se perder a governabilidade, já que o presidente em exercício do PSDB, Tasso Jereissati (PSDB-CE) afirmou recentemente, que o partido deve deixar a base de sustentação do governo Temer.

Publicidade

Segundo estimativas da consultoria supra-mencionada, o presidente da República tem a chance de 70% para o cumprimento do mandato presidencial. Entretanto, a consultoria aponta que seguramente, novas alegações de caráter potencial, levantadas contra Michel Temer, poderiam tornar sua posição muito mais precária", conforme relatório divulgado pela consultoria. Porém, a Consultoria Eurásia reconhece que nenhuma das perspectivas ruins seriam capazes de "alterar substancialmente a avaliação sobre a habilidade do presidente em conseguir sobreviver ao cargo ou mesmo, a capacidade de sobreviver a uma votação em Plenário da Câmara dos Deputados, provavelmente, em duas ou três semanas.

A consultoria recorda que o presidente Michel Temer necessita de somente 172 votos para que se possa evitar que a denúncia contra ele tenha prosseguimento. Além disso, o cenário econômico não enfrenta grandes "turbulências", conforme ocorria à época do governo de Dilma Rousseff. Outro fator preponderante, segundo assinala a consultoria, é que as ruas estão "tranquilas", em comparação ao período da ex-presidente Dilma. #Corrupção