O Instituto #Datafolha de Pesquisas executou uma pesquisa nos dias 21, 22 e 23 de junho, onde entrevistou 2.771 pessoas maiores de 16 anos, pois essas são as que podem votar, em 194 municípios, onde mediu a aprovação de #Michel Temer como presidente da República, cargo que assumiu após o impeachment da ex-presidente da República Dilma Rousseff, pois era o vice-presidente na chapa do PT.

Quando se iniciou o processo de impedimento da ex-presidente Dilma, o vice Michel Temer enviou uma carta para a petista afirmando ser um "vice decorativo", o que acabou instaurando uma grande crise entre o PT e PMDB, que vivem um tom de rivalidade muito grande.

Publicidade
Publicidade

Após Temer assumir, a sua rejeição até que não era grande, mas a divulgação de áudio de uma conversa gravada pelo empresário Joesley Batista com Temer agravou a crise política brasileira.

A pesquisa

Após a crise atingir novo patamar após a delação premiada do dono da JBS, o empresário Joesley Batista, as pesquisas indicam pouca aprovação de Temer. A mais recente feita pelo Datafolha aponta 7% de aprovação, o que indica a menor aprovação de um presidente desde o governo de José Sarney. Acabou superando até mesmo a Dilma Rousseff em seu segundo mandato, quando ela tinha aprovação de 8%.

A alta rejeição do governo se dá aos escândalos que envolvem o nome do presidente da República, mas ele nega as acusações. Porém, mais de 80% da população defende a ideia do peemedebista renunciar ao maior cargo do Poder Executivo no Brasil.

Publicidade

Processo de Temer

Michel Temer pode deixar o cargo pelo fato de ter sido aberto um processo pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, alegando que o presidente da República tem protagonismo em atos de corrupção passiva. A autorização para abertura de processo contra Temer será votado no plenário da Câmara Federal no dia 2 de agosto.

O pedido de processo contra Michel Temer será votado pelos deputados federais. Se for aceito por 2/3 dos parlamentares, o STF está autorizado a dar andamento na ação.

Se todos os procedimentos legais forem executados, o presidente Michel Temer deverá ficar afastado até que seja julgado por completo no Supremo Tribunal Federal (STF). Enquanto isso, quem assume é o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o qual deve ser interino. Caso o presidente seja condenado, eleições indiretas serão convocadas. Por outro lado, se for absolvido, voltará a assumir o cargo. #CrisePolítica