O senador Aécio Neves voltou aos trabalhos no Senado Federal nesta terça-feira (4) após decisão proferida pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Marco Aurélio Mello, na última sexta-feira (30). Em seu primeiro ato, o senador por Minas Gerais subiu ao palanque da Casa Legislativa e fez sua defesa. Além disso, reforçou que o PSDB deve apoiar Michel Temer e ser contra a denúncia de corrupção envolvendo seu nome que tramita na Câmara dos Deputados.

Segundo o tucano, o governo de Temer "continua a liderar" as reformas que estão em discussão no Legislativo. A volta de Aécio Neves é importante para o Planalto, pois é o retorno de um forte aliado que pode mobilizar a bancada do PSDB em favor de Temer, mesmo não sendo mais o presidente nacional do partido.

Publicidade
Publicidade

Defesa feita pelo senador

Aécio, em sua fala, criticou a divulgação do áudio da conversa entre ele e o ministro do STF, Gilmar Mendes. Aécio também afirmou que não cometeu nenhum crime e que foi "vítima de uma armação, de um bandido confesso". O tucano continuou com o discurso de que o dinheiro pedido a Joesley serviria para pagar negócios pessoais, se tratando de um empréstimo entre particulares, não de um empresário com um senador da República. #Dentro da política #PMDB