O trágico acidente de avião que vitimou o ex-postulante ao cargo de presidente da República, Eduardo Campos, do PSB, de Pernambuco, continua envolto em grande "mistério" e levantando ainda muitas "polêmicas". Em meados de 2014, ano em que se deflagrava a última disputa eleitoral para a Presidência da República [VIDEO], que mais tarde veio a ser vencida pela ex-presidente Dilma Rousseff, do PT, tendo em segundo lugar e derrotado na eleição, Aécio Neves (PSDB), o candidato do PSB se destacava durante a campanha, conseguindo manter-se como uma terceira via em uma disputa completamente polarizada entre PT e PSDB. A "terceira via" começava, no entanto, a chamar a atenção dos eleitores brasileiros, como um contraponto à disputa entre tucanos e petistas.

Publicidade
Publicidade

Entretanto, a disputa eleitoral de 2014, acabou sendo "abalada" por uma verdadeira tragédia. Um #Acidente aéreo com o jato Cessna Citation 560, que transportava o ex-governador do estado de Pernambuco, Eduardo Campos, acabou resultando na morte do político e de mais pessoa a bordo da aeronave que naquela ocasião sobrevoava a cidade de Santos, no litoral do estado de São Paulo.

Proprietário oculto do avião

Após a morte de uma das grandes promessas da eleição de 2014 para a Presidência do Brasil, o ex-governador Eduardo Campos, muitos questionamentos ficaram sem resposta, apesar de todo o trabalho e dos desdobramentos das investigações sobre o caso. Com as investigações da Polícia Federal se aprofundando cada vez mais sobre o inquérito que envolve o trágico acidente aéreo, em mais de três anos de apurações, um delator decidiu colocar um ponto final em todo esse "mistério".

Publicidade

O empresário delator trouxe informações consideradas muito preciosas às investigações da Polícia Federal e Ministério Púbico e afirmou categoricamente que o proprietário oculto do avião que vitimou fatalmente o ex-governador do estado de Pernambuco, Eduardo Campos, trata-se de um amigo do presidenciável, Aldo Guedes Álvaro. Vale ressaltar, que de acordo com as informações repassadas aos investigadores e à Polícia Federal, Aldo Guedes Álvaro , além de amigo do ex-presidenciável Eduardo Campos, era também seu ex-assessor e braço-direito do político pernambucano.

Com a morte de Campos, em meio à disputa eleitoral à Presidência da República, a então vice candidata na chapa do ex-governador, a ex-ministra petista e ambientalista Marina Silva, atualmente no partido da Rede Sustentabilidade, assumiu como postulante do PSB (Partido Socialista Brasileiro), e mesmo com grandes chances para alcançar a vitória, acabou sofrendo "duros ataques" de campanha pela então candidata Dilma Rousseff e não conseguiu se firmar perante os eleitores. Marina Silva acabou ficando em terceiro lugar na disputa eleitoral, atrás de Dilma Rousseff e Aécio Neves. #Corrupção