O Democratas passou, no mínimo, a última década à sombras da política nacional. Oposição ao governo petista, o #DEM era apenas uma apêndice da fraca oposição feita pelo PSDB. Agora, com a possibilidade de um dos seus assumir a presidência da República caso a denúncia de corrupção contra Michel Temer seja aceita pela Câmara dos Deputados, o partido cresce os olhos e vê uma chance de crescer.

Rodrigo Maia (DEM-RJ) é visto como o protagonista do partido nesse momento, após assumir a presidência da Câmara dos Deputados e agora responsável por comandar o rito da denúncia da Procuradoria-Geral da República que tramita na Casa Legislativa contra Temer.

Publicidade
Publicidade

O objetivo do Diretório Nacional do DEM é ganhar espaço no Parlamento. Com 29 deputados atualmente, o partido conversa com outros parlamentares que estudam migrar para o DEM. A expectativa da diretoria é que a bancada chegue a 40 integrantes.

Também existe a possibilidade, mesmo que ainda o plano esteja apenas em conversas, em fundir o DEM com o PSD e PSB. Os democratas mais otimistas sonham até que, com essa fusão, o partido se torne a maior bancada da Câmara dos Deputados, ultrapassando o PMDB, que tem 62 parlamentares e tradicionalmente a maior bancada do Parlamento brasileiro. #Dentro da política