A caminhonete Ford F-1000, ano 1984, pertencente ao ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva foi poupada pelo juiz Sergio Moro por ocasião do bloqueio de propriedades do petista no caso da condenação na Lava Jato. A "Poderosa", como era carinhosamente chamada por Lula, foi roubada em 2002, em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, quando estava estacionada em frente ao prédio em que o ex-presidente mora.

Segundo o líder do #PT, a "perua" era o xodó da família, tinha um valor sentimental inestimável para ele e a falecida esposa, Marisa Letícia, que morreu em fevereiro. Em conversa com amigos jornalistas na última quinta-feira (20), Lula desabafou e disse que deseja muito que sua picape seja encontrada e devolvida para poder curti-la um pouquinho mais.

Publicidade
Publicidade

O MPF (Ministério Público Federal) também pediu o bloqueio de outros bens, como uma Ford Ranger, um Chevrolet Ômega, três apartamentos e um terreno em São Bernardo, além da caminhonete deixada de lado pelo magistrado, alegando ser muito velha e sem valor algum. A intenção do processo é indenizar a Petrobras no processo do tríplex do Guarujá (SP). Modelos similares aos carros do ex-presidente são vendidos em torno de R$ 20 mil, se bem conservados.

Lula gracejou sobre sua "Poderosa" ter sido deixada de lado ao falar do caso na última quarta-feira (19): "O juiz Moro, ele foi condescendente comigo". O petista ainda teve o bloqueio de R$ 606 mil de suas contas bancárias, determinadas pela Justiça, além de R$ 9 milhões em planos de aposentadoria privada.

Ainda referindo-se à picape, Lula disse que seu destino não foi dos mais gloriosos e acredita que roubaram para usar em desmanche.

Publicidade

O ex-presidente contou que parou de pagar o seguro do carro por ser velho demais, justo nesse dia acharam de furtar seu veículo tão querido.

Lula percorre o Nordeste

Logo depois de sua condenação na Lava Jato, Lula começará uma peregrinação eleitoral pelo Nordeste, a partir do dia 16 de agosto. De acordo com informações, o líder do PT ficará mais de 20 dias nas estradas brasileira.

Isso dará a ele oportunidade de analisar como estão as rodovias por onde a caravana deve passar. A visita deve começar por Salvador, a seguir vai para Sergipe, marcando assim seu primeiro grande ato, após ter sido condenado pelo juiz Sergio Moro e marcará sua agenda como pré-candidato à Presidência do Brasil em 2018.

Segundo informações, a caravana ainda é só um esboço e estão sendo estudadas as cidades e o custo da viagem, mas alguns governadores já foram contatados, como os da Paraíba, Sergipe e Ceará, que provavelmente deram seu aval. #jesus