O ex-presidente da Câmara dos Deputados #Eduardo Cunha foi levado para depor em um dos casos em que é investigado, onde foi acusado por ter envolvimento no esquema de fraudes da Caixa Econômica Federal, no âmbito da Operação Cui Bono, o ex-deputado federal foi conduzido até a delegacia da Polícia Federal, em Curitiba.

A peça de acusação investiga que Eduardo Cunha, o ex-ministro Geddel Vieira Lima e o doleiro Lúcio Funaro são supostamente envolvidos em esquemas de pagamentos de propinas em troca da liberação de empréstimos na Caixa Econômica.

Reação de Cunha

O ex-presidente da Câmara dos Deputados se manteve calado por todo o #depoimento, nenhuma palavra saiu da boca do ex-deputado e isso surpreendeu, onde cria-se uma especulação por parte da mídia que isso seria por causa de um possível acordo de delação premiada que estaria sendo fechado, porém, a defesa de Cunha nega qualquer negociação sobre uma possível delação.

Publicidade
Publicidade

O deputado de Eduardo Cunha se manifestou sobre o ex-deputado ter se mantido de "boca fechada", onde citou que o processo em que o mesmo está respondendo é a apuração das mesmas provas no qual vai responder em Brasília, por isso evitou o desgaste e todos os esclarecimentos sobre esta acusação será respondida no Distrito Federal.

Delação premiada

A delação premiada foi integrada no sistema judiciário brasileiro [VIDEO] pelo juiz federal responsável pela operação Lava Jato, Sérgio Moro, o qual trouxe a ideia do governo americano e foi implementada e utilizada, onde diversos políticos já aceitaram o acordo para entregar outros integrantes do esquema de corrupção.

O ex-presidente da Câmara dos Deputados é um dos mais esperados para fazer uma delação premiada mas o mesmo nega todas as acusações e não negociou um acordo ainda, ao menos o seu advogado afirmou que não há qualquer tipo de negociação.

Publicidade

A última delação premiada em que Eduardo Cunha foi citado foi na explosiva do empresário Joesley Batista, dono da JBS, onde executou uma gravação de conversa com o presidente da República, Michel Temer, e nela foi citado pelo empresário sobre manter o ex-deputado de "boca fechada" dentro da prisão, quando foi dito isso Temer afirmou para se manter assim.

Michel Temer

O presidente da República, Michel Temer, corre risco de perder o cargo após a acusação do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, o qual pediu a investigação do presidente por ter protagonismo em atos de corrupção passiva, caso o processo seja aceito por 2/3 da Câmara dos Deputados e pela maioria no Senado Federal, o Temer deve ser investigado no Supremo Tribunal Federal (STF).

Durante a investigação quem assume é o atual presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, o qual deve se retirar do cargo se Michel Temer for absolvido e convocar eleições indiretas caso o presidente for condenado. #Bocha fechada