O Brasil passa por um profundo momento de divisão ideológica de sua população em função do pandemônio político e econômico que se instalou no país ao longo dos últimos anos, por causa de denúncias de corrupção, desvio do dinheiro, parlamentares brasileiros envolvidos em casos de roubo, sequestro, assassinato, entre outros crimes, e empresários gananciosos só querendo tirar proveito econômico ilícito, através de conchavos prostituídos com os ocupantes do poder no Planalto Central. [VIDEO]

A atmosfera nacional está impregnada de ceticismo, vergonha e ânimos exaltados, fazendo com que muitas pessoas se posicionem publicamente diante do que vem acontecendo, defendendo as suas idéias com determinação.

Publicidade
Publicidade

É o caso, por exemplo, do consagrado ator baiano Wagner Moura, o qual jamais hesitou em deixar claros os seus pontos de vista no programa de televisão “Conversa com Bial”, veiculado na madrugada do dia 12 de julho, quarta-feira.

Ao dialogar com o apresentador #Pedro Bial, o baiano fez comentários sobre a polarização da opinião política dos brasileiros, isto é, sobre a divisão entre os simpatizantes de direita e os de esquerda no âmbito político, provocando atritos e confusão, entre uma população anteriormente mais hegemônica.

Moura disse naquela noite, que a “inteligência vive na zona cinza”, ou seja, isso nada mais é do que uma parábola, de que a pessoa que não é extremista, situa-se “entre o preto e o branco", arrematou o ator, o qual estava tentando transmitir a ideia de que todos os extremos são perigosos.

Publicidade

De qualquer modo, em nenhum momento, diante do contexto do que vem transcorrendo no país, Wagner ficou em cima do muro ao se expressar e reiterou que mesmo que ele tenha que pagar um preço muito alto pela sua postura, irá sempre se posicionar diante desse momento único da história do Brasil. “Eu banco a minha opinião, aguento o tranco", arrematou o bom baiano.

#Wagner Moura não é só um simpatizante do ex-presidente #Lula e de outras personalidades ligadas ao PT (Partido dos Trabalhadores), antes disso, ele é um ativista ferrenho de ideias socialistas e de falas de liberdade para os mais oprimidos.

Por outro lado, o famoso fez questão de frisar que não deseja perder pessoas queridas do seu rol de amizades por questões políticas ou por pensar diferente, e disse ainda, que para não perder amigos, ele procura às vezes recuar de tais temáticas mais fervorosas.

O nome de batismo do ator é Wagner Maniçoba de Moura ou como é mais conhecido, simplesmente Wagner Moura, nascido na cidade de Salvador em 27 de junho de 1976.

Publicidade

Além de ser um dos atores mais destacados do cinema nacional, Moura também é jornalista, músico e diretor, tendo atuado em várias produções tais como: “Deus é Brasileiro”, “O Caminho das Nuvens”, “Carandiru”, “Tropa de Elite” e “Tropa de Elite 2”.

Atualmente alcançou ainda mais notoriedade no exterior, interpretando o narcotraficante colombiano Pablo Escobar na série de TV Narcos.

No ano de 2013, foi o 1º ator nordestino a ter um papel em Hollywood, no filme “Elysium”, atuando ao lado de atores norte-americanos famosos como Matt Damon e Jodie Foster.