Em um momento tão turbulento, no qual o país encontra-se atolado em uma crise econômica e política, além de dividido em dois lados, chamam a atenção alguns projetos que são apresentados pelos nossos congressistas, dentre eles, o do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSC-SP) que pretende criminalizar o comunismo no Brasil com penas que podem chegar até 30 anos de cadeia no Brasil.

Eduardo Bolsonaro, que é filho do também deputado Jair Messias Bolsonaro [VIDEO], justifica seu projeto de lei afirmando que o #Comunismo é tão nocivo quanto o nazismo.

Caso o projeto seja aprovado, será terminantemente proibido fabricar ou usar o símbolo da foice e do martelo para divulgação favorável ao comunismo.

Publicidade
Publicidade

Manifestações de qualquer tipo favoráveis ao regime também serão proibidas.

Foi chamado de infantiloide

Por ora, o projeto está esquecido na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), mas quando foi apresentado, há pouco mais de um ano, recebeu duras críticas. A deputada federal Jandira Feghali (PC do B-RJ) declarou que a proposta era ridícula, fascista e “infantiloide”, pois fere a liberdade de expressão garantida pela nossa Constituição. A parlamentar afirmou ainda que o projeto deve ser derrotado assim que for analisado.

Juristas também criticaram

O advogado e especialista em Direito Eleitoral, José Eduardo Alckmin, afirma que é intolerável cercear o direito de outro pensar, mesmo discordando totalmente. O jurista lembrou que nossa Constituição garante a todos o direito de pensar e se expressar com liberdade, mesmo que sejam ideias abjetas.

Publicidade

O advogado Flávio Brito concorda que é impossível punir alguém por pensar diferente, já que a Constituição é bem clara quanto a isso. Brito chamou de factoide e uma estratégia de marketing o projeto de Eduardo Bolsonaro.

Desinformação e ódio

Nos últimos anos, milhares de pessoas que não sabiam e ainda não sabem exatamente o conceito do que é comunismo passaram a enxergá-lo em quase todos os locais e pessoas. Na internet ou em manifestações, é possível encontrar pessoas com explicações mais estapafúrdias sobre o que é comunismo. Há até quem considere que além dos partidos de esquerda, quase todos os políticos brasileiros são “bolivarianistas e/ou comunistas”, exceto os que têm “coragem” de criticar o regime. A Globo, a Folha, o UOL, enfim quase toda grande imprensa está a serviço do comunismo na visão dessas pessoas.

A desinformação é tão grande que acaba gerando pérolas. Em uma manifestação, uma senhora entrevistada disse a maioria das pessoas não sabe o que é comunismo, e ao ser solicitada a explicar, disse: “É a mistura de todas as coisas que existem no inferno”. Durante uma invasão ao Congresso este ano, uma das manifestantes confundiu a bandeira do Japão com o “comunismo”. O vídeo viralizou e milhões de pessoas riram, quando, na verdade, deveriam se preocupar, pois desinformação + ódio sempre resultam em graves problemas. #Bolsonaro2018 #Congresso Nacional