O futuro do governo de Michel Temer passa diretamente pelo plenário da Câmara dos Deputados na próxima quarta-feira (2). Isso porque será quando vai ser votado o prosseguimento ou não da denúncia feita pela Procuradoria-Geral da República contra o peemedebista por corrupção.

Na última semana, deputados da base a assessores do Planalto contabilizavam cerca de 260 a 280 votos favoráveis a Temer e contra a denúncia. Porém, parece que essa ideia tão otimista não faz jus a realidade. Segundo o repórter da Globo News, Gerson Camarotti, a contabilidade mais realista agora trabalha com cerca de 200 votos. Para barrar a denúncia, o governo precisa que a oposição não consiga 342 votos

Camarotti afirmou que uma de suas fontes confidenciou que houve um otimismo exagerado, agora, o governo está refém desse erro de cálculo.

Publicidade
Publicidade

Segundo a fonte, qualquer número abaixo da expectativa inicial pode transparecer uma fraqueza do governo.

Uma segunda denúncia já está sendo preparada e deve ser apresentada a qualquer momento, então Temer não estará 100% livre caso consiga derrotar essa primeira. O que corre nos corredores é que uma vitória nesse momento com menos de 220 votos enfraqueceria demais o governo e tornaria inviável qualquer votação de reforma. Deixando o risco ainda maior para quando a segunda denúncia for apresentada. #Michel Temer #Dentro da política