As eleições de 2018 se aproximam e as incertezas só aumentam. Pesquisas recentes apontam #bolsonaro e #Lula na liderança da corrida presidencial de 2018, porém ambos podem ficar inelegíveis por problemas com o judiciário.

Após ser condenado a nove anos e seis meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro pelo juiz federal Sérgio Moro, na semana passada, Lula já começa a cogitar substituto nas eleições em 2018. O nome cogitado por ele para representar o PT é o de Fernando Haddad, ex-prefeito de São Paulo. Lula provavelmente já é carta fora do baralho e começa a aceitar isso. Ele ainda terá de responder pelo processo do sítio de Atibaia, para o qual há uma maior expectativa de uma pena pesada.

Publicidade
Publicidade

Já Jair Bolsonaro, apesar de livre de processos relativos à operação Lava Jato, pode acabar ficando de fora das corridas presidenciais de 2018 por ter perdido a linha em uma discussão com Maria do Rosário no salão oval onde o deputado disse que não a estupraria porque ela não merecia. Caso seja condenado, Bolsonaro pode pegar de três a seis meses de prisão, além do pagamento de multa. Em março deste ano, a primeira turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu por unanimidade rejeitar o recurso apresentado pela defesa do parlamentar e o manteve na condição de réu e, devido a isso, pode-se interpretar que os ministros não estão inclinados a inocentá-lo.

Além disso, outro problema afeta o deputado Jair Bolsonaro: ele ainda não decidiu por qual partido irá concorrer. Bolsonaro soltou um comentário que estaria "namorando" o PSDC (Partido Social Democrata Cristão), porém o partido desmentiu e disse que não havia interesse no Bolsonaro para 2018.

Publicidade

Em declaração ao jornal O Estado de S. Paulo, Bolsonaro havia dito que busca 1 partido sem problemas com a Lava-Jato e , não adianta eu entrar para um partido grande e enrolado em denúncias.

Na pesquisa realizada pelo DataPoder360, nos dias 9 e 10 de julho com 2178 entrevistados, o deputado Jair Bolsonaro cresceu 7 pontos percentuais em relação a junho, com 21% das intenções de voto, empata agora tecnicamente com Lula, que tem a preferência de 26% dos eleitores.

Caso ambos sejam condenados e impedidos de concorrerem às eleições, o nome que vem logo atrás do de Jair Bolsonaro é o de Geraldo #Alckimin, do PSDB. Há um forte movimento na internet que pede que João Doria (PSDB-SP) abandone a prefeitura de São Paulo e concorra no lugar de Alckimin, porém ao menos por enquanto, Doria descarta essa hipótese e jura lealdade ao Alckmin.