Publicidade
Publicidade

O procurador da República e um dos coordenadores da Operação #Lava Jato, #Deltan Dallagnol, fez um discurso em Fortaleza (CE), nesta quinta-feira (20), na Federação das Indústrias do Estado do Ceará, e comentou sobre a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e as expectativas para os próximos dias.

Dallagnol afirmou que as penas do juiz federal Sérgio Moro são brandas e por essa razão irá recorrer da condenação do petista para tentar aumentar a pena, que no momento, é de nove anos e meio de prisão.

O Ministério Público Federal (MPF) acredita que as denúncias feitas contra o petista merecem pena muito maior do que a estipulada por Moro.

Publicidade

Segundo o procurador, não só Lula, mas outros que foram condenados com ele também tiveram punições pequenas perto de seus delitos.

Se analisar o discurso de Dallagnol, Lula não deveria estar tão feliz do jeito que ele demonstra na mídia porque, de acordo com o procurador, os desembargadores da 8° Turma do Tribunal Regional Federal da 4° Região (TRF-4) são muito mais rígidos e em nenhum momento, até agora, diminuíram as penas impostas por Moro. Pelo contrário, a tendência é aumentá-las.

Para o coordenador da força-tarefa, Moro foi bem "suave" ao impor uma pena de apenas nove anos e meio para Lula, sendo que a gravidade dos fatos é enorme.

Lava Jato "voando"

O procurador comentou que a #Corrupção é tão forte que começa a ir além da Petrobras, alcançando órgãos públicos estaduais e municipais e tudo isso só está sendo descoberto devido ao avanço das investigações.

Publicidade

Dallagnol ressaltou que a intenção dele e dos investigadores é punir com provas todos aqueles que roubaram os cofres públicos.

O procurador rebateu críticas do ex-presidente Lula e de seus aliados contra a Lava Jato. Apenas uma das críticas é bem-vinda pelo procurador. Ele afirmou que gosta quando é chamado de "garoto", sinal de que não está demonstrando a idade. Porém, ele ressaltou que as experiências dos procuradores começaram bem antes da Lava Jato e todos estão muito bem preparados.

Sociedade

Deltan Dallagnol disse que o apoio da sociedade é de extrema importância para o resultado da operação. Ele afirmou que vários políticos tentam pressionar para que a Lava Jato chegue ao fim. Segundo o procurador, os investigados, condenados e aliados de corruptos almejam sufocar os trabalhos da Polícia Federal (PF), acabar com as delações premiadas e anistiar quem já cometeu crimes.

A sociedade precisa se unir e tomar posição firme para que a força-tarefa continue combatendo a corrupção.