Dois agentes da Polícia do Senado denunciaram no ano passado, que a organização estava utilizando maletas para destruir grampos que foram instalados pela #Polícia Federal (PF) com determinação do Poder Judiciário. As maletas localizavam e retiravam escutas ambientais e evitavam que senadores da República fossem pegos em possíveis crimes de obstrução à Justiça. O equipamento era utilizado nas residências e gabinetes dos senadores e se for comprovado a veracidade das denúncias. A Polícia do Senado poderá estar participando de articulações e prejudicando as investigações da Operação Lava Jato. A intenção do Judiciário é flagrar senadores tentando corromper a Justiça com atitudes ilegais e depois puni-los.

Publicidade
Publicidade

A PF recolheu os equipamentos, mas, ao invés de haver punição para quem era o responsável pelas maletas, os agentes denunciadores são os perseguidos. Eles respondem por inquérito na Polícia do Senado e não conseguem mais nenhuma promoção na carreira deles.

No Brasil, parece que as coisas caminham sempre ao avesso. Quem tenta ajudar acaba sendo ferido pelo mal dos outros.

As investigações contra os senadores da República continuam paradas pela lentidão do Supremo Tribunal Federal [VIDEO](STF), mas as ações contra os agentes denunciadores correm rapidamente. No inquérito da Polícia do Senado, Paulo Igor Silva e Carlos Alfama são acusados de substração de documentos. Mas que documentos? Os que foram usados para provar os crimes que estavam ocorrendo dentro do Senado.

Publicidade

Segundo a Polícia do Senado esses documentos contém informações sigilosas sobre os senadores da República.

Maletas

As maletas apreendidas pela PF estão em poder da Corte Suprema, porém, ainda não foram periciadas. Enquanto as investigações ficam estagnadas no STF, os denunciantes são alvos de rígidos processos. A Polícia do Senado pediu a quebra de sigilo telefônico deles para descobrir se foi feita alguma cópia dos documentos subtraídos.

O juiz Jaime Travasso, em comum acordo com o procurador Frederico Paiva, afirmou que os agentes são sendo retaliados e que isso deverá ser investigado. Segundo o juiz, a quebra de sigilo deles é insignificante já que os documentos extraídos foram utilizados pela PF.

Caso curioso

Coincidência ou não, o presidente do #Senado Federal, Eunício Oliveira, pediu ao STF que devolvesse as maletas antigrampo. Porém, o pedido foi feito um dia depois da busca e apreensão da PF nos locais pertencentes ao senador Aécio Neves. #Lava Jato