O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ficará no cargo até o mês de setembro, quando dará lugar a sua sucessora, #Raquel Dodge. Ele chegou a enviar uma carta aos colegas de instituição agradecendo pelo tempo que trabalharam juntos e aproveitou para parabenizar a subprocuradora Raquel Dodge, indicada pelo presidente Michel Temer para assumir a Procuradoria-Geral da República.

Na carta, Janot deu um recado de alerta para sua sucessora falando sobre as grandes dificuldades que terá pela frente. De acordo com ele, ela terá que enfrentar grupos poderosos que são capaz de tudo para não perderam o poder e o dinheiro. Segundo o procurador, são pessoas que se beneficiam do dinheiro público e tentam criar manobras para não serem prejudicados por investigações que combatam a corrupção.

Publicidade
Publicidade

Em seu texto, #Rodrigo Janot ressalta que esses grupos poderosos não estão preocupados com a situação econômica do país e querem apenas enriquecerem sangrando os cofres públicos. Eles podem fazer de tudo para manterem seus privilégios.

Vigilância

O procurador-geral da República sugeriu que Raquel se mantenha firme e redobre sua vigilância. O Ministério Público Federal (MPF) realiza um trabalho muito sério e que causa ódio nos envolvidos em esquema criminoso, especialmente quando se trata dos casos da Operação #Lava Jato. Porém, o MPF fica numa situação preocupante de grande rota de colisão com poderosos de interesses escusos.

Janot afirmou que o perigo rondará sua vida o tempo todo e ela precisa se precaver. Ele também elogiou a escolha dela para ser a sua sucessora. Segundo o procurador-geral da República, o presidente Michel Temer agiu com democracia ao escolher alguém que fazia parte da tríplice aliança, no caso, os três mais votados.

Publicidade

Porém, Temer quebrou um tabu. Todos os presidentes sempre escolhiam o mais votado, Temer optou pela segunda mais votada.

Transparência

Janot desejou que a gestão de Dodge seja feita com grande êxito, levando o MPF no caminho virtuoso do combate à criminalidade. De acordo com Janot, a transição do comando será feita de uma forma tranquila e transparente, realçando grande profissionalismo.

Raquel foi aprovada pela sabatina do Senado, na quarta-feira (12), tendo uma vitória expressiva, a maior até agora, de um candidato da Procuradoria. O placar ficou 74 votos contra 1.

Raquel comentou que pretende manter forte as investigações da Operação Lava Jato [VIDEO] e que se for preciso aumentará a equipe para favorecer as investigações.