O Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, afirmou ao Superior Tribunal Federal (STF) que irá apurar o suposto envolvimento de 199 políticos no caso do uso indevido das passagens áereas de parlamentares, no escândalo que ficou conhecido como “farra das passagens”. As informações são do portal G1.

Revelado em 2009 pelo site Congresso em Foco, o escândalo revelou que diversos políticos estariam usando sua cota de passagens de uso parlamentar para viagens de férias, incluindo o transporte de familiares e amigos. Agora, Janot irá invesrtigar o envolvimento de 199 políticos com foro privilegiado neste esquema. Entre os investigados estão ministros, senadores e deputados, entre outros.

Publicidade
Publicidade

O uso indevido das passagens áereas teria sido realizado entre os anos de 2005 a 2009.

Na ocasião, o hoje presidente Michel Temer (PMDB) era presidente da Câmara dos deputados. Quando o escândalo foi revelado, em março de 2009, Temer anunciou mudanças no sistema, permitindo o uso da cota parlamentar de passagens apenas pelos políticos e seus assessores, além de restrições para viagens internacionais.

Além dos 199 políticos investigados que possuem foro privilegiado e serão investigados pela Procuradoria-Geral da República, outros 13 ex-parlamentares sem foro serão investigados. No caso destes, os processos ficarão a cargo da Justiça Federal em Brasília.

Na época da revelação do escândalo, um inquérito foi aberto, mas o processo foi arquivo em 2016. No início deste ano, a lista com o nome dos parlamentares e ex-parlamentares envolvidos foi enviada à Janot por Luiz Fux, relator do inquérito no STF.

Publicidade

A decisão de prosseguir com a apuração ficou então a cargo do Procurador-Geral, que decidiu prosseguir com o trabalho. #Rodrigo Janot #Corrupção #Política