O atual prefeito da cidade de São Paulo, o tucano João #Doria, surpreendeu ao entrar na #Justiça de São Paulo com uma denúncia de queixa-crime contra Ciro Gomes (PDT-CE), um dos futuros candidatos à presidência do Brasil. João Dória já vinha há tempos observando as falas de Ciro e, com isso, juntou vários documentos comprovando que o pré-candidato disse palavras contra a honra do prefeito.

A queixa-crime é por injúria, calúnia e difamação e, nela, João Doria mostra Ciro dizendo que ele é um "farsante" e que teria se tornado rico através do dinheiro público. O escritório responsável por representar Doria é o de Fernando José da Costa.

Publicidade
Publicidade

As frases captadas por Doria partiram de palestras, eventos e entrevistas dados por Ciro. Em uma das entrevistas, Ciro acusa Doria de ter feito propaganda insinuando o turismo sexual. A tal propaganda aconteceu quando Doria era presidente da Embratur e o marketing visava uma mulher na praia. Há também uma declaração de Ciro, enfatizando que Doria fez "tráfico de influência com os governos de tucanos".

Segundo João Doria, as falas de Ciro Gomes afetam sua honra como gestor de São Paulo, pai de família, marido e empresário. O ex-ministro e ex-deputado, que agora quer se candidatar para presidente, teria, segundo Doria, dado declarações "delirantes".

O crime de injúria, citado pelos advogados de Doria, foi uma frase dita por Ciro durante um programa televisivo: "sempre engomadinho com 'beiço' cheio de 'botox'".

Publicidade

A defesa enfatiza que não importa se Doria tem ou não botox nos beiços, mas isso feriu a dignidade do prefeito João Doria Júnior.

Alunos contra Ciro

Ciro Gomes já deu muitas declarações polêmicas contra o prefeito de São Paulo; em uma delas, foi até acusado de homofobia. Os alunos da Escola de Direito da Universidade de São Paulo acusaram Gomes de ter feito declarações homofóbicas contra Doria. A frase dita por Ciro seria de baixo calão, alegando que Doria era um "viado". Ao saber das acusações, o ex-deputado e ex-ministro disse que tudo seria uma "invenção" das redes sociais.

Os alunos da universidade enfatizaram, em nota, que a atitude de Gomes o faz não merecer o apreço e nem destaque da opinião pública, mostrando que os comentários incitam a violência e o preconceito com o grupo LGBT's, e isso não deve ser tolerado dentro de uma universidade com grande pluralidade, como a USP. Ciro Gomes foi até a universidade para falar sobre o lançamento do projeto "Brasil Nação". #CiroGomes